Panamá, a porta de entrada para a América do Sul

Os turistas encontram uma cidade cada vez mais moderna

Comentar
Compartilhar
12 MAI 201413h49

Com arranha-céus que brotam do chão a uma velocidade impressionante. Além de uma vida noturna vibrante e hotéis de luxo como o Playa Bonita Resort and Spa, a Cidade do Panamá tem as compras como uma de suas principais atrações. Numerosos duty free com produtos isentos de impostos e shopping centers imensos como o Shopping Multiplaza e o Shopping Albrook Mall oferecem produtos das principais marcas internacionais com preços supereconômicos, num país onde o dólar é usado praticamente como moeda local.

Durante sua passagem pela capital, a visita ao Canal não pode ficar de fora do roteiro para conhecer uma impressionante obra de engenharia que demorou mais de dez anos para ser construída e se estende por cerca de 80 km. Mas as principais belezas do Panamá não estão na maior cidade e sim espalhadas pelo seu pequeno território: no Caribe, encontramse destinos paradisíacos como o arquipélago de Bocas del Toro, um dos principais pontos turísticos do país.

O Canal do Panamá
Com o sucesso da construção do Canal de Suez, ligando o Mar Mediterrâneo ao Golfo de Suez, era a vez de facilitar a vida dos ianques que tinham de viajar até as gélidas águas do Estreito de Magalhães no extremo sul da América para viajar da costa leste à costa oeste numa travessia arriscada, cara e longa: eram mais de 15 mil quilômetros a percorrer.

Entretanto, como tudo na vida americana, a construção do Canal tinha motivos um pouco menos altruístas que simplesmente facilitar a navegação inter oceânica. O Panamá, na época uma província Colombiana, poderia ser uma boa base estratégica para o tio Sam.

Eclusa Canal do Panamá (Foto: Divulgação)

Depois de conseguir a permissão dos britânicos, que eram donos de inúmeras possessões no Caribe, anulando o tratado de Clayton-Bulwer segundo o qual ambos se comprometiam a não iniciar a construção sem o consentimento mútuo, Ferdinand de Lesseps, engenheiro francês, dá início às obras em 1879. Infelizmente, para ele. De início, a obra foi um desastre levando-o à falência dez anos depois. Era então chegada à hora dos americanos interferirem.

Convicto de que a construção do canal seria algo importante para os americanos, Theodore Rosevelt, presidente dos EUA de 1901 a 1909, ofereceu 40 milhões de dólares ao engenheiro que trabalhara com Lesseps e que havia fundado a Compagnie Nouvelle Du Canal de Panamá encarregada de vender o espólio da falida empresa de Ferdinand, pelo direito de continuar a construção.

Mas, mesmo depois de ter conseguido, através dos tratados Hay-Paucefote, que a Inglaterra abrisse mão de ser sócia na construção do canal e ainda permitissem que os EUA construíssem uma base militar na região, os americanos ainda tinham uma pedra pelo caminho: a Colômbia queria mais dinheiro pela companhia francesa.

Vista aérea da cidade (Foto: Divulgação)

Foi então que, em outubro de 1903, os funcionários da Panamá Railroad Company deflagraram um pseudo movimento separatista com o apoio dos fuzileiros norte-americanos a bordo do encouraçado Nashville.

Os colombianos nada tiveram a fazer senão aceitar e, um mês depois, os norte-americanos assinaram o Tratado Hay – Bunau Varilla (ou Isthmian Canal Convention), segundo o qual possuem domínio perpétuo sobre uma zona de 16 km ao longo do canal em troca de 10 milhões de dólares aos panamenhos e mais 250 mil dólares anuais.

Atualmente, o Canal do Panamá é a principal via de navegação entre os dois oceanos por onde passam cerca de 12 mil navios por ano de todos os tipos. O canal funciona através de um sistema de eclusas para compensar a diferença de altitude entre o Atlântico e o Pacífico e entre estes e o Lago Gatun que fica bem no meio do canal e é o ponto de maior altitude.

Colón
Está situada na entrada do Canal do Panamá. É banhada pelo mar do Caribe e o principal porto de entrada e saída das mercadorias do pais. No transcurso do cruzeiro que fiz com o navio Monarch da Pullmantur que se iniciou em Cartagena e terminou para o grupo de jornalista nesta cidade, além de desfrutar do Canal do Panamá, você poderá se relaxar nas suas praias maravilhosas com areia branca e água quente e tranquila. Colón destaca por ser um paraíso para as compras, oferecendo uma grande variedade de produtos na zona Duty Free. Com o cruzeiro Antilhas e Caribe Sul , visitaremos o lago Gatún , um lago artificial construído para a navegação do Canal. Nessa travessia é possível observar os macacos Titi e Aranha nas copas das árvores , e à margem do lago, os macacos Cariblancos. Os experientes guias locais, levarão por um fascinante passeio em teleférico pela floresta tropical de Gamboa , onde poderemos observar a sua exuberante vegetação.

Liberado Junior viajou a convite da Pullmantur.