Banner Sabesp

Temer vai ao Planalto e deve receber Jefferson para definir ministro do Trabalho

Eles devem discutir sobre uma nova indicação para a vaga de ministro do Trabalho, deixada por Ronaldo Nogueira semana passada

Comentar
Compartilhar
03 JAN 2018Por Estadão Conteúdo14h00
Temer deverá receber à tarde o presidente nacional do PTB, Roberto JeffersonFoto: Rodrigo Montaldi/DL

O presidente Michel Temer chegou por volta das 10h30 desta quarta-feira, 3, ao Palácio do Planalto depois de despachar nos últimos seis dias do Palácio do Jaburu, sua residência oficial. Por recomendação médica, ele precisou ficar em repouso e procurou cumprir uma agenda mais tranquila para poder se recuperar de uma cirurgia na uretra e de uma infecção urinária.

Por ora, a agenda do dia prevê apenas despachos internos, mas Temer deverá receber à tarde o presidente nacional do PTB, Roberto Jefferson. Eles devem discutir sobre uma nova indicação para a vaga de ministro do Trabalho, deixada por Ronaldo Nogueira semana passada.

O nome cotado era o do deputado federal Pedro Fernandes (PTB-MA), mas, segundo Jefferson, Temer desistiu de nomeá-lo após o ex-presidente José Sarney (PMDB-AP) não referendar o nome de Fernandes, aliado do governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB).

Dino disputará a reeleição tendo como potencial adversária a ex-governadora Roseana Sarney (PMDB), filha do ex-presidente. Com isso, Temer pediu a Jefferson uma nova indicação do PTB, que manterá o controle da pasta, mas os dirigentes da sigla ainda não decidiram oficialmente a nova sugestão.

Insatisfação

A decisão de Temer provocou insatisfação na bancada do PTB da Câmara. "Estou esperando o governo me comunicar, porque sou líder da bancada. Liguei para o (Eliseu) Padilha (ministro da Casa Civil) e ele disse que não sabia de nada. Se Pedro Fernandes desistir por conta dele, tudo bem. Agora, por veto de alguém de outro partido eu não acho correto. Já fiquei incomodado com outras nomeações e não falei nada por questão ética", disse nesta terça-feira o líder do partido, deputado Jovair Arantes (PTB-GO).

 

Colunas

Contraponto