X
Santos

Aquário de Santos promove ação educativa e ensina a fazer compostagem

Ensinou também o segredo para transformá-los em compostagem, reduzindo a geração de lixo e beneficiando os recursos ambientais

AÇÃO EDUCATIVA COMPOSTAGEM AQUÁRIO / MARCELO MARTINS

Um passeio que se transforma em aprendizado e proteção para o meio ambiente. Uma ação educativa promovida pelo Aquário de Santos, nesta sexta-feira (14), apresentou aos visitantes a importância de se aproveitar resíduos sólidos orgânicos produzidos ao preparar uma saladinha,  um suco ou outra refeição do cardápio diário.

Ensinou também o segredo para transformá-los em compostagem, reduzindo a geração de lixo e beneficiando os recursos ambientais.

"O nosso objetivo é sensibilizar as pessoas e orientá-las sobre como podem aproveitar, por exemplo, as cascas de alimentos que habitualmente seriam descartadas, às vezes, de qualquer forma, e transformá-las em húmus e biofertilizantes através do processo de compostagem", diz a chefe da Unidade de Educação Ambiental do Aquário, Edna Gois.

Os participantes ainda tiveram explicações para montar uma composteira simples, sem a necessidade de gastar muito, em qualquer cantinho da própria casa. Potinhos de sorvete, por exemplo, e alguns ingredientes a mais já são suficientes para iniciar o processo, explica a estagiária da Unidade de Educação Ambiental, Júlia Ferreira dos Santos Domingos.

Faça parte do grupo do Diário no WhatsApp e Telegram.
Mantenha-se bem informado.

"Com, pelo menos, duas caixinhas, restos de cascas de alimentos picados, um pouco de terra para jardim (que venha com minhoca) e serragem (pode ser a de hamster) já é possível começar". Basta empilhar os potes e fazer furos no fundo do primeiro. Depois coloque os produtos. "O primeiro pote funcionará como caixa digestora e o segundo, como coletora do biofertilizantes", acrescenta Júlia.

 

DICAS

Fique atento às dicas. Não são todos os resíduos que devem ser destinados à composteira. "Restos de carnes e alimentos cozidos não podem. Cascas de frutas cítricas têm de estar secas, caso contrário prejudicam a compostagem. Casca de ovo, borra de café, restinhos de frutas, desde que não cítricas, estão liberados", avisa Edna. 

A professora de História, Gabriela Ferrinho, 36 anos, veio de Limeira, no Interior do Estado, passar férias no Município e descobriu a atividade durante o passeio ao Aquário. 

"Meu marido trabalhou ano passado em uma escola que tinha horta e já atuava com compostagem. Então, quando a gente viu a atividade, ficamos interessados, principalmente ele, porque eu ainda não conhecia e achei muito interessante saber reutilizar aquilo que a gente considera como lixo".

Segundo ela, a novidade vai representar mudanças na rotina de cuidados do jardim da casa dela. No local, a família cultiva várias espécies de plantas, que agora terão um tratamento diferenciado. "Ganhei o biofertilizante e vamos usar, com certeza".

Quem ficou interessado pode aproveitar a próxima ação educativa sobre compostagem e resíduos sólidos orgânicos que está marcada para o dia 28 e ocorre, das 14h às 16h, sem necessidade de inscrição. O parque fica na Praça Luiz La Scala s/nº, Ponta da Praia.

Deixe a sua opinião

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Cubatão

Claudio Barazal é o novo secretário municipal de comunicação social de Cubatão

Emprego

PAT de Praia Grande está com 24 vagas disponíveis

Algumas são oportunidades para o primeiro emprego, sem necessidade de experiência

©2021 Diário do Litoral. Todos os Direitos Reservados.

Software