Marina reage com cautela às críticas de Lula

Lula procurou colar na ex-petista o carimbo de "teleguiada" do governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB), ao dizer que "ela deveria parar de aceitar com facilidade as lições que estão lhe dando"

Comentar
Compartilhar
31 OUT 201311h17

 A ex-ministra Marina Silva (PSB) disse ontem que não tem "pressa em responder na mesma moeda" ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Em Curitiba, ao ser questionada sobre as declarações do ex-presidente, Marina disse que tem muito respeito por Lula e não queria "se precipitar" numa resposta. Em estratégia combinada com o Palácio do Planalto, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva criticou ontem Marina, na tentativa de neutralizar os ataques dela à política econômica e blindar Dilma. Lula procurou colar na ex-petista o carimbo de "teleguiada" do governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB), ao dizer que "ela deveria parar de aceitar com facilidade as lições que estão lhe dando".

"Não sei do contexto e não quero também me precipitar, porque eu não posso controlar o que Lula diz a meu respeito, mas eu quero falar sempre com ele com muito respeito e sem nenhum tipo de pressa em responder na mesma moeda", afirmou a ex-ministra do Meio Ambiente durante a gestão do petista. "Minhas declarações, elas vêm sendo dadas desde 2010", ressaltou.

Marina concedeu entrevista coletiva na sede da Federação das Indústrias do Estado do Paraná, onde deu uma palestra sobre "Desafios do Desenvolvimento Sustentável do Brasil".

Para ela, o próprio ex-presidente manteve as conquistas obtidas pelo Plano Real. "Quanto à ideia da estabilidade econômica, quem me deu a lição foi o próprio presidente Lula quando assinou a Carta aos Brasileiros, em que ele dizia que iria manter as conquistas do Plano Real e todos aqueles compromissos que foram assumidos."

A ex-ministra Marina Silva (PSB) disse ontem que não tem