Para Lucas Lima, Santos já provou sua força e não é hora de mexer no time

Na opinião do meia, o clássico de domingo não pode ser encarado como o principal teste para a equipe praiana na temporada

Comentar
Compartilhar
02 ABR 201514h36

Neste domingo, o Santos encara o Corinthians, em Itaquera. O time de Tite é o único invicto do Campeonato Paulista, líder da classificação geral e dono de uma invencibilidade em seu novo estádio de 27 jogos. O confronto, além de toda a rivalidade, definirá a possibilidade do Peixe chegar na última rodada da primeira fase com chances ou não de tomar a ponta do rival.

Mesmo assim, para o meia Lucas Lima, o clássico de domingo não pode ser encarado como o principal teste para a equipe praiana na temporada.

"Não. É um jogo importante por ser clássico. Estamos mostrando nosso valor a cada jogo, tivemos outros clássicos, jogos difíceis também e conseguimos bons resultados. claro que o time deles está em uma crescente, é muito regular. Não podemos dar bobeira", explicou.

O Santos liderou boa parte da competição estadual e perdeu este posto justamente para o arquirrival na última semana após perder para a Ponte Preta, e assim ter uma invencibilidade de 14 jogos quebrada, e empatar com o São Bento em plena Vila Belmiro. No entanto, o camisa 20 santista não acredita que esta seja a hora de mexer na equipe.

Lucas Lima acredita que os jogos não tem pesos diferentes e quer Santos igual contra o rival Corinthians (Foto: Ricardo Saibun/SFC)

"Creio que não. A gente vem ganhando assim, acho que todos os jogos que fizemos no começo do campeonato foram bons assim. Todo mundo ali da frente tem obrigação de marcar também, ajudar o setor defensivo. sabemos da responsabilidade, principalmente da gente, que joga na frente. Sabemos que nos últimos dois jogos ficamos devendo nesse quesito, principalmente contra a Ponte", analisou.

Nesta quarta-feira, o técnico Marcelo Fernandes testou Vitor Ferraz e Chiquinho, que está recuperado de um edema na coxa esquerda, na lateral. Demostrou dúvida entre Valencia e Lucas Otávio para a posição de proteção à zaga, mas surpreendeu ao escalar Marquinhos Gabriel na vaga de Geuvânio, que vive um jejum de gols desde a primeira rodada do Paulistão.

O treinador do Peixe ainda não definiu a equipe que irá a campo no Itaquerão e deve, inclusive, realizar treinos fechados até sábado para tirar suas dúvidas e manter o mistério para não facilitar as coisas para Tite.

"Creio que jogada individual pode abrir a defesa deles. Nosso time é rápido, tem um mano a mano muito bom, temos que usar bastante isso", pediu Lucas Lima. O meia também não quer que o Peixe perca sua identidade só por atuar na casa do rival.

“Eles saem para o jogo, mas a equipe é bem compacta. Vamos ver o que o professor tem para passar sobre o time deles. A gente tem assistido, sabemos que é compacta e equilibrada, que marca sempre bem primeiramente, para depois atacar. Temos que ter inteligência para atacar também. Vamos jogar fora de casa, mas o forte do Santos é atacar e, então, temos de atacar”, ressaltou.