Timão troca passes, supera retranca e atropela Danubio em Itaquera

Em Itaquera, a formação alvinegra trocou passes velozes e inteligentes para construir uma tranquila vitória por 4 a 0, com um gol de Jadson e três de Guerrero

Comentar
Compartilhar
02 ABR 201500h03

A retranca do Danubio não foi suficiente para frear o Corinthians, 100% no temido Grupo 2 da Copa Libertadores. Em Itaquera, a formação alvinegra trocou passes velozes e inteligentes para construir uma tranquila vitória por 4 a 0, com um gol de Jadson e três de Guerrero, além de ótimas atuações de Elias e Emerson.

Os comandados de Tite chegaram com gritos de “olé” aos 12 pontos em quatro partidas, mas ainda não asseguraram matematicamente sua classificação às oitavas de final. Eles fecharão sua participação na chave em duelos com San Lorenzo e São Paulo, que dividem a segunda posição com seis pontos.

Ainda zerado na tabela, o Danubio procurou se fechar na zona leste de São Paulo. O Corinthians soube se impor diante do adversário defensivo e conseguiu o primeiro gol em uma falta seguida de confusão – com Elias reclamando ter sido chamado de macaco. Jadson bateu muito bem e marcou.

O segundo saiu ainda no primeiro tempo, em jogada com participações precisas de Emerson, Jadson, Elias e Guerrero, para delírio de Tite. Guerrero completou cruzamento de Emerson no primeiro minuto da etapa final. O peruano fez seu terceiro após batida de Jadson, fechando o fácio triunfo.

A retranca do Danubio não foi suficiente para frear o Corinthians (Foto: J.F. Diorio/Estadão Conteúdo)

Olé

Contra o toque de bola do Corinthians, o Danubio tentou congestionar a região da sua área com cinco defensores. Eles tinham a ajuda de três jogadores de meio-campo, com Fornaroli e Matías Castro para a eventualidade de um contra-ataque se apresentar. Mas a equipe não adotava uma linha de marcação muito recuada.

A estratégia alvinegra para superar a retranca foram os passes rápidos, muito efetivos. Em duas jogadas pela esquerda, o gol esteve bem perto em chutes de Guerrero e Emerson, defendidos por Torgnascioli. O goleiro só não pôde fazer nada em cobrança de falta perfeita de Jadson, aos 26 minutos, no ângulo direito.

A infração que originou o tento teve bastante confusão, com Elias acusando Cristian González de racismo e envolvimento até de maqueiros. Mas o Corinthians conseguiu se controlar, abriu o placar na sequência e o ampliou aos 33, em jogada que fez os olhos de Tite brilharem.

Emerson foi até a linha de fundo da defesa recuperar a bola e deu chutão. Guerrero trabalhou muito bem com Jadson, que achou Elias. O volante levou a marcação pela direita e cruzou para Guerrero concluir de cabeça. Em novas trocas de passe, o terceiro esteve perto até o intervalo.

O Danubio voltou com Ignacio González para o segundo tempo e viu suas chances de reação ruírem aos 21 segundos. Acionado por Renato Augusto, Emerson cruzou da esquerda para mais uma ótima conclusão de Guerrero, esta de pé direito, sem deixar a bola cair no chão.

Com a guarda uruguaia baixa, o domínio se ampliou. Foi questão de tempo o quarto gol, originado em falta sofrida por Elias e batida por Jadson. Guerrero apareceu na entrada da pequena área para bater de pé direito, aos 22, e fechar o marcador no estádio de Itaquera.

O que se viu a partir daí foi uma festa da Fiel, com gritos de “olé” a cada passe e oportunidade para Emerson dar seus dribles – aos 38, um deles acabou gerando a expulsão de De los Santos. Edu Dracena, Petros e Vagner entraram para participara da celebração e permitir aplausos a Felipe, Elias e Emerson.