Fã de Gabriel, Clodoaldo prefere ver a promessa como centroavante

A jovem revelação santista mais uma vez deixou sua marca. Contra o Princesa de Solimões, Gabriel chegou a 11 gols na temporada e é o artilheiro isolado da equipe

Comentar
Compartilhar
10 MAI 201414h33

O time pode até não estar empolgando, mas se tem algum jogador no Santos que pode dizer que vive boa fase é Gabriel. A jovem revelação santista mais uma vez deixou sua marca. Contra o Princesa de Solimões, Gabriel chegou a 11 gols na temporada e é o artilheiro isolado da equipe.

“Eu acompanho a carreira do Gabriel, em algum momento eu mesmo falei para ele parar com essa coisa de Gabigol, mas os locutores continuam usando”, comentou Clodoaldo, ídolo santista e campeão do Mundo em 1970 com a seleção brasileira. “Ele é um jogador que eu entendo como fantástico, jogador com capacidade e que ainda pode crescer muito”, continuou Clodoaldo.

Além de goleador, Gabriel tem se destacado pela versatilidade. Após a chegada de Leandro Damião, Oswaldo já o usou no meio de campo, enfiado na área e como ponta direita. Apesar de agradar em todas as funções, para Clodoaldo, Gabriel é centroavante. “O Gabriel jogando mais enfiando, junto com o Thiago (Ribeiro), com o Geuvânio, é melhor. Ele chega mais inteiro, aquela movimentação me agrada muito porque ele tem uma capacidade de finalização muito grande”, opinião o ex-craque. “Eu ainda acho que ele ainda vai surpreender dentro dessa capacidade, ele ainda não mostrou tudo que ele sabe sobre aquela última bola, da finalização ali na área”, disse.

'Eu falei para ele parar com 'Gabigol', mas os locutores continuam usando', disse Clodoaldo sobre a promessa (Foto: Divulgação/Santos FC)

Clodoaldo também analisou o momento que a equipe santista. Após ter um início de temporada surpreendente, com goleadas, o Peixe atravessa um mal momento. Mas, na opinião de Clodoaldo, essa é a hora do técnico Oswaldo de Oliveira dar moral aos garotos.

“Talvez, em algum momento os chamados ‘garotos’ não tenham correspondido, mas e os outros ‘não garotos’ que não corresponderam, não estão correspondendo e são mantidos na equipe? Então, precisa refletir e o Oswaldo precisa ter tranquilidade para dar oportunidade, prestigiando e acreditando no futebol desses meninos. Essa é a hora de dar moral”, explicou um dos maiores jogadores que o Brasil já viu.