Hospital Irmã Dulce terá centro de hemodiálise

Segundo divulgou o prefeito Alberto Mourão a previsão é que as obras de adaptação para o novo serviço tenham início até março com capacidade de atendimento de 36 cadeiras

Comentar
Compartilhar
12 DEZ 201311h22

O Hospital Municipal Irmã Dulce contará com um centro de hemodiálise para atender pessoas com insuficiência renal de Praia Grande e outras cidades do Litoral Sul. Segundo divulgou o prefeito Alberto Mourão na entrega da nova Sala de Emergência do Pronto-socorro Central, a previsão é que as obras de adaptação para o novo serviço tenham início até março, com a expectativa de começar a funcionar no segundo semestre do ano com capacidade de atendimento de 36 cadeiras.

“Esperamos que esse cronograma seja seguido”, acrescentou o prefeito, observando que a iniciativa, por envolver o SUS, necessita de negociações e aprovações em outras instâncias. Após concretizar esse avanço, Mourão pretende buscar, em 2015, o aumento de 40 novos leitos no Irmã Dulce. “Primeiro vamos atender a hemodiálise e depois passar pela ampliação com novos leitos. Um passo em cada momento”, disse o prefeito, observando que o hospital de Praia Grande “já virou referência regional”.

O superintendente do hospital, Inacio Lopes Júnior, pontuou que o serviço de hemodiálise no hospital é um anseio antigo do município: “Acredito que no ano que vem possamos finalizar o projeto e trazer esses leitos, que vão ajudar muito os doentes renais que tem que ir a Santos fazer hemodiálise nos centros de referência, às vezes até em São Paulo e no ABC”.

O secretário de Saúde, Francisco Jaimez Gago, observou que entre o projeto original e a proposta atual havia uma questão de redimensionamento de cadeiras que permitisse atendimento não só ao munícipe praiagrandense como a moradores do Litoral Sul.  “Para isso são necessárias 36 cadeiras, porque o projeto original era para 22”, esclareceu.

O anúncio foi feito pelo prefeito ao lado do superintendente do hospital na entrega da nova emergência do PS Central (Foto: Maitê Morelatto/PMPG)

Jaimez Gago expôs que o centro precisa funcionar no âmbito hospitalar porque, em caso de alguma intercorrência, contará com suporte médico e de UTI (Unidade de Terapia Intensiva). “A área inicial era a ocupada pelo antigo centro cirúrgico da então Santa Casa, mas estamos em fase de estudo de planta (arquitetônica)”, prosseguiu.

Após as obras, o projeto entrará em outros processos até a definição da empresa que prestará o serviço. “O que a gente imagina é iniciar em julho”, explicou o secretário. “As intervenções serão grandes, mas o espaço já está dividido. Resta adaptá-lo porque existe toda uma normativa para se ter um centro de hemodiálise.”

Hemodiálise

De acordo com a Sociedade Brasileira de Nefrologia, hemodiálise é um tipo de tratamento para os pacientes que sofrem de doença renal avançada, quando a função renal está bastante reduzida. Na hemodiálise, o sangue é filtrado por uma máquina e as substâncias acumuladas são removidas. A indicação desse tipo de tratamento é feita por médico, sendo o nefrologista especialista em doenças renais.