Taxa de ocupação de hospitais da Capital volta a subir, afirma pesquisador da USP

O pesquisador teve acesso aos dados de ocupação de determinados hospitais particulares, além de dados públicos de hospitais municipais

Comentar
Compartilhar
22 JUL 2020Por Gazeta de S. Paulo11h39
Leitos do hospital de campanha do Estádio Bruno José Daniel, em Santo AndréFoto: Helber Aggio/PSA

A taxa de ocupação dos leitos privados e municipais voltou a subir na cidade de São Paulo, após queda iniciada no meio de junho. A análise foi feita pelo pesquisador Marcio Bittencourt, do Centro de Pesquisa Clínica e Epidemiológica do Hospital Universitário da USP.

O pesquisador teve acesso aos dados de ocupação de determinados hospitais particulares, além de dados públicos de hospitais municipais e de campanha geridos pela gestão municipal. Seu levantamento leva em conta tanto UTIs quanto enfermarias.

Na Capital, diz a pesquisa, houve uma inversão da tendência de queda na ocupação que estava em curso a partir da segunda quinzena de junho.

“A inversão de tendência é discreta e não preocupa em termos de magnitude, a gente tem capacidade de absorver, mas o problema é um sinal e existe um risco de continuar subindo. É mais um aviso precoce de que algumas coisas estão mudando. A tendência de queda não está mais lá, a gente pode voltar a ver uma queda nova, mas também podemos ter uma segunda onda, que não sabemos se seria maior, igual ou menor que a primeira”, explica Bittencourt, em entrevista ao “G1”.

Apesar da alta na taxa de ocupação, as novas internações pelo novo coronavírus estão estáveis na capital paulista.