Número de casos de dengue na Região sobe para 5 mil

Maiores índices são de Santos e Praia Grande; quatro cidades estão em estado de epidemia

Comentar
Compartilhar
29 MAR 201323h15

5.069 casos confirmados de dengue em toda a Baixada Santista. Santos, Praia Grande, São Vicente e Cubatão declaram estado de epidemia. Guarujá também deve declarar surto da doença antes da Páscoa. Até agora a cidade te 296 casos confirmados e cinco estão em análise.

O protocolo da Secretaria de Estado da Saúde identifica epidemia quando são registradas 100 sorologias positivas para cada 100 mil habitantes.

Neste caso, Bertioga deveria ter decretado epidemia há, pelo menos, duas semanas. O motivo é que a Cidade teve, desde junho de 2012, 86 ocorrências, enquanto o limite, de acordo com o número de habitantes, seria de 47.

Santos

A cidade apresenta o maior número de casos positivos as doença: 2359. Para atender a demanda, a Secretaria de Saúde da Cidade capacitou os funcionários e equipes médicas das Unidades Básicas de Saúde (UBSs) e dos três prontos-socorros municipais.

Segundo a Prefeitura, desde o início do ano, a Secretaria de Saúde já realizou 15 mutirões em todos os bairros da cidade, e vistoriou mais de 30 mil imóveis. 170 agentes da Seção de Controle de Vetores (Secove) atuam na fiscalização.

Praia Grande

A Cidade tem 1.498 casos confirmados e mais 127 casos suspeitos. Os bairros com maior número de casos estão concentrados na Região do Trevo (Samambaia, Ribeirópolis, Esmeralda e Melvi).

Por conta do alto índice, as Unidades de Saúde da Família (USAFAs) da Cidade funcionam em esquema especial para atender pacientes com suspeita de dengue. Além de novo horário de funcionamento – das 7h30 às 17 horas, sem pausa para almoço -, as Usafas estão seguindo um protocolo especial de triagem com o objetivo de desafogar os prontos-socorros.

Prefeituras da Região criaram esquemas especiais para combater o mosquito (Foto: Divulgação)

São Vicente

Com 350 casos confirmados, cidade é a quarta a entrar em situação de epidemia. A Vigilância Epidemiológica registra também 341 aguardando
resultado.

Atualmente a equipe de prevenção e combate à dengue conta com 80 agentes de saúde que percorrem toda a cidade para vistoriar residências, comércio e locais estratégicos, como escolas e prédios públicos para dar orientações.

A partir da próxima semana o trabalho ganhará o reforço dos nebulizadores – mochilas com inseticida próprio para o combate ao Aedes Aegypti.

Cubatão

São 320 casos confirmados de 1º de janeiro a 27 de março. Com este índice, a Prefeitura remanejou toda a estrutura operacional, disponibilizando mais recursos e pessoal para o enfrentamento à doença. Especialmente, nos prontos socorros, onde houve um grande aumento de atendimento. Além disso, o serviço de vigilância epidemiologia da Prefeitura, com técnicos e agentes, continuam o trabalho de conscientização para a eliminação de criadouros.

Na última quinta-feira, a prefeita Marcia Rosa se reuniu com o ministro da Saúde, Alexandre Padilha, em São Paulo, para tratar sobre a epidemia de dengue e a situação de vulnerabilidade em que a cidade se encontra com o grande número de registros de doenças de pele, diarréias e viroses logo após as enchentes.

No encontro, o ministro determinou o envio, já na próxima segunda-feira, dia 1º, de uma equipe de técnicos para avaliar a situação, junto com a Secretaria Municipal de Saúde, e elaborar um relatório detalhado.

Números

Guarujá pode entrar em estado de epidemia nos próximos dias ao se confirmar positivo os cinco casos que ainda estão sendo estudados. Até o momento, 296 casos foram confirmados na Cidade.

Em Peruíbe, 128 casos foram confirmados no município. Mas, segundo a Prefeitura, ainda não há informações sobre o sorotipo circulante. Na primeira quinzena de abril, soldados da Polícia Militar e Prefeitura se mobilizarão em uma forçatarefa de limpeza na Cidade.

Já em Bertioga, de janeiro até o momento, foram registrados 86 casos positivos de dengue. Os bairros com maior incidência são Vila Itapanhaú, Jardim Vicente de Carvalho II e Jardim Rio da Praia.

Mongaguá tem 24 casos confirmados na Cidade. No munícipio há seis agentes de endemias e, para reforçar a ação preventiva, a Prefeitura em parceria com a SUCEN, treinou os 48 agentes comunitários de saúde para o trabalho de orientação a eliminação de criadouros do mosquito da dengue.

Em Itanhaém tem o menor índice da doença: oito casos confirmados. Quando há um caso positivo, o Setor de Combate à Dengue realiza o chamado ‘bloqueio’, que é quando a vistoria é intensificada num raio de 1 km da residência onde mora a pessoa que teve a doença. Até o momento, o bairro que teve a maior incidência da doença foi o bairro Belas Artes.

Colunas

Contraponto