Fórum discute desafios no combate eficaz da tuberculose

Entre as prioridades para o combate à doença, está a importância de um trabalho focado para que o paciente não abandone o tratamento.

Comentar
Compartilhar
28 NOV 201312h28

A importância de um trabalho focado para que o paciente não abandone o tratamento, evitando que se torne multiresistente aos medicamentos; e o enfrentamento da co-infecção Tuberculose/HIV estão entre os desafios traçados como prioridade para o combate à doença durante o III Fórum Municipal de Tuberculose, promovido pela Secretaria de Saúde de Santos nesta quarta (27).

O evento reuniu cerca de 100 profissionais da área, entre os servidores da rede municipal, Governo do Estado, prefeituras de Bertioga e Guarujá, Conselho Municipal de Saúde e rede privada de hospitais. A doença afeta cerca de 15 mil pessoas por ano no estado e é uma das principais causas morte entre pacientes com HIV no país.

“É uma das doenças mais antigas da humanidade, com tratamento e cura há mais de meio século e mesmo assim não conseguimos diminuir os casos na região. Essa precisa ser uma luta dos profissionais de saúde e de toda sociedade”, ressaltou o secretário municipal da pasta, Marcos Calvo, durante a abertura.

Teste rápido
A coordenadora estadual do programa de controle da doença ponderou sobre as dificuldades de enfrentamento devido à exclusão social e anunciou que até fevereiro deve ser implementando o teste rápido para diagnóstico. Houve também apresentação dos idosos do programa Movimente-se com a música e com a dança, ao som de canções de Noel Rosa e Zeca Pagodinho, que tiveram a doença.