Com estoque crítico, Baixada Santista precisa de doação de sangue

Hemonúcleo de Santos está com estoque 80% abaixo do necessário. A unidade precisa com urgência de doadores de sangue do tipo O, positivo e negativo

Comentar
Compartilhar
28 JAN 201415h17

Em razão da queda de doações registrada nos meses de dezembro e janeiro, o Hemonúcleo de Santos, unidade ligada à Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo, está com seu estoque de sangue 80% aquém do necessário.

Responsável pelo abastecimento de cinco hospitais públicos da região, o Hemonúcleo de Santos convoca a população para que doe sangue e ajude a melhorar essa situação.

A unidade precisa com urgência de doadores de sangue do tipo O, positivo e negativo, que se encontram em situação mais crítica de abastecimento.

“Com a passagem das festas de final de ano, são necessárias mais doações por conta do aumento dos acidentes que acontecem nesse período. Além disso, acreditamos que outro motivo seja a queda nas doações no período de férias, quando boa parte da população viaja”, diz  Tânia Vianna, assistente social do Hemonúcleo.

Responsável pelo abastecimento de cinco hospitais públicos da região, o Hemonúcleo de Santos convoca a população para que doe sangue e ajude a melhorar essa situação (Foto: Divulgação/HAC)

Para doar sangue basta estar em boas condições de saúde, estar alimentado (porém evitar a ingestão de comida gordurosa nas 4 horas que antecedam a doação e bebidas alcoólicas 12 horas antes da coleta), ter entre 16 e 67 anos, pesar no mínimo 50 kg e trazer documento de identidade original com foto.

O Hemonúcleo de Santos funciona dentro do Hospital Guilherme Álvaro, que fica na rua Oswaldo Cruz, nº 197. A unidade funciona de segunda à sexta-feira, das 7h às 17h.
 

Colunas

Contraponto