Zé Dirceu diz a jornal que não deixará a política e reafirma ser "injustiçado"

Condenado a dez anos e dez meses de prisão, Dirceu fez críticas a atuação da imprensa no processo e falou em "inquisição" e "linchamento"

Comentar
Compartilhar
15 NOV 201316h57

Com a possibilidade de ter sua prisão decretada em breve, o ex-ministro José Dirceu afirmou nesta sexta-feira que não pretende deixar a vida política. Em entrevista à Folha, Dirceu disse que vai continuar lutando: "Nenhuma prisão vai prender minha consciência", afirmou.

O petista, que estava recentemente passeando com a família na Bahia, aguarda em Vinhedo, interior de São Paulo, a decisão do Supremo Tribunal Federal (SFT) em relação a como e quando acontecerão as prisões dos condenados na Ação Penal 470, conhecida como processo do mensalão.

Condenado a dez anos e dez meses de prisão, Dirceu fez críticas a atuação da imprensa no processo e falou em "inquisição" e "linchamento". "Eu faço a disputa de peito aberto, mas esse tipo de linchamento eu não aceito", afirmou ao jornal.

O ex-ministro reforçou que espera a decisão do STF com "o espírito de quem se considera injustiçado". Ele reafirmou ainda que foi condenado sem provas. "É público e notório que sou inocente e que a minha vida é limpa. E virei um chefe de quadrilha?"

Com a possibilidade de ter sua prisão decretada em breve, o ex-ministro José Dirceu afirmou nesta sexta-feira que não pretende deixar a vida política (Foto: Divulgação)