Turismo, saúde e habitação lideram demandas em audiência da Alesp, em Santos

Participaram da atividade parlamentares, vereadores e representantes da sociedade civil

Comentar
Compartilhar
13 SET 2021Por Da Reportagem16h16
As audiências públicas são transmitidas ao vivo pela Rede AlespAs audiências públicas são transmitidas ao vivo pela Rede AlespFoto: Divulgação

Recursos para o turismo, melhorias na habitação e necessidades na área da saúde foram os principais temas tratados pelos participantes na audiência pública organizada pela Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo nesta segunda-feira (13/9), em Santos, para o Orçamento estadual de 2022.

O encontro ocorreu na Câmara de Vereadores e foi presidido pelo deputado estadual Wellington Moura (Republicanos), e contou com a participação de vereadores das cidades da região e representantes da sociedade civil.

O primeiro orador foi o vereador Fabrício Cardoso, 1º vice-presidente da Câmara de Santos, que pediu investimentos no turismo, setor gerador de emprego e renda para a região. O vereador pediu atenção especial para a revitalização do centro histórico de Santos, "para que possamos voltar à pujança tanto na parte comercial, quanto residencial".

O turismo também foi citado pelo vereador Paulo Monteiro, da Câmara de Praia Grande. "É o quarto destino mais procurado no turismo. Nossa região metropolitana precisa de atenção, já que os dados são favoráveis para o fim do ano. Praia Grande cresce e precisa de atenção dos deputados", disse.

Para o vereador Pastor Roberto de Jesus, da Câmara de Santos, haverá uma retomada do turismo e a região precisa estar preparada. "A verba para o turismo da nossa cidade precisa ser aumentada. De um ano e meio para cá, houve um bloqueio, mas estamos caminhando para vencer a Covid-19 e precisamos reativar todas as atividades da Baixada Santista", comentou.

 

Saúde

As necessidades na área da saúde foram destacadas por diversos participantes. O vereador Paulo Monteiro, da Praia Grande, comentou que a região enfrenta dificuldades para a marcação de cirurgias eletivas e exames.

A Central de Regulação de Oferta de Serviços de Saúde (Cross) precisa ser reorganizada, segundo os participantes. "O governo do Estado tem de instituir administração regional", pediu o vereador Wellington Silva, da Praia Grande. "Precisamos fazer com que esse sistema funcione de forma mais rápida para dar o mínimo de dignidade à nossa população", pediu o vereador Marcos Roberto, de Cubatão.

Também de Cubatão, o munícipe Antônio Vieira comentou que a cidade tem "um deficit muito alto de leitos em UTI" e pediu ao governo aumento do número de leitos. Já o vereador Pastor Roberto de Jesus pediu mais verbas para os AMEs (Ambulatórios Médicos de Especialidades) da região.

 

Habitação e esporte

Na habitação, o munícipe Willians Rodrigues afirmou que a região onde mora, na cidade de Cubatão, sofre com as chuvas. "Já perdemos muitas vidas, precisamos dar um basta nisso", comentou, pedindo a inclusão da comunidade em programas habitacionais.

Outro munícipe falou sobre as moradias em palafitas e pediu a implementação do Programa Vida Digna, lançado pelo governo do Estado em agosto deste ano. O programa pretende reassentar 2.800 famílias que moram em palafitas na Baixada Santista. "É a maior comunidade em palafitas na América do Sul", afirmou Willian Leite, que considera a necessidade de investimentos nessa área essencial "para que não tenhamos mais pessoas morando nessas condições".

O munícipe Claudinho, presidente do movimento social Cultura de Rua, pediu aumento dos investimentos estaduais na área do esporte. "Esporte tira a molecada da rua e das drogas", ressaltou. Concordando com ele, o munícipe Willian Leite pediu investimentos em programas esportivos governamentais. "Que tenhamos entidades que possam fomentar o esporte olímpico", pediu.

 

Parlamentares

O presidente da Comissão de Finanças, Orçamento e Planejamento da Alesp, deputado Gilmaci Santos (Republicanos), comentou que, ao todo, serão 27 audiências públicas em toda as regiões do Estado de São Paulo. "Ouvimos demandas interessantes. Todas as regiões têm suas demandas, que precisam ter sua atenção", disse.

O parlamentar ressaltou a necessidade de investimento no esporte, citado por alguns participantes. "Se trouxermos para o esporte, tiramos da cadeia. Precisamos trazer mais dinheiro para o esporte e para a cultura", comentou. O deputado Enio Tatto (PT) concordou com o colega. "Precisamos aumentar a verba para esporte e cultura, para tirar o jovem da rua, das drogas".

Por fim, o deputado Wellington Moura afirmou que os investimentos solicitados na audiência pública serão estudados pelos parlamentares. "A todos que fizeram seus pedidos, fizemos as anotações. Vamos investir na Baixada Santista", finalizou.

Ainda nesta segunda-feira acontece a audiência pública do Orçamento estadual na Câmara Municipal de Mogi das Cruzes, às 19h.

O governo do Estado tem até o dia 30 de setembro para enviar o projeto de lei do Orçamento para a Assembleia Legislativa paulista. As demandas apresentadas nas audiências públicas poderão ser acrescidas ao Orçamento por meio de emendas parlamentares.

As audiências públicas são transmitidas ao vivo pela Rede Alesp. Sugestões ao orçamento podem ser enviadas por WhatsApp, pelo número (11) 9 3404-9001, e pelo site da Alesp. Participações virtuais devem ser solicitadas antecipadamente também no portal da Alesp, com preenchimento de formulário disponível no ícone "Audiências Públicas do Orçamento", da parte de baixo da página oficial.