Lula diz que América do Sul não deve retroceder

O ex-presidente chegou ontem à cidade de Santa Cruz, no leste da Bolívia, para receber o título de doutor honoris causa de uma universidade privada

Comentar
Compartilhar
22 MAI 201421h28

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse hoje que a América do Sul não pode se dar ao luxo de retroceder nos avanços sociais e econômicos que cada país conquistou nos últimos anos.

"Em todos os fóruns mundiais para os quais sou convidado eu pergunto: 'em que parte do mundo se vive mais em paz como na América Latina e do Sul? Em que parte do mundo as pessoas recebem tanta atenção social em pouco tempo como na América do Sul? E em que parte a economia cresce mais?'", afirmou Lula na abertura de um seminário internacional na Bolívia. Ele dividiu o fórum com o presidente Evo Morales, do qual disse sentir "orgulho", e ressaltou a Bolívia como exemplo da evolução que tem acontecido no continente.

Lula chegou ontem à cidade de Santa Cruz, no leste da Bolívia, para receber o título de doutor honoris causa de uma universidade privada e dar início ao debate "Frente à mudança climática: economia e sociedade para viver bem", organizado pelo governo boliviano como um evento preparatório para a cúpula do grupo G77+China, evento ocorrerá nos dias 14 e 15 de junho.

Morales e Lula haviam agendado uma reunião particular após o almoço. O ex-presidente brasileiro ressaltou os avanços sociais feitos em seu governo e disse que o Brasil hoje é um "país diferente e melhor". O presidente boliviano disse que a nacionalização do setor de hidrocarbonetos, decretada em 2006, mudou a economia de seu país, apesar de a medida afetar a gigante brasileira Petrobras.

Lula ao lado do presidente Evo Morales (Foto: Ricardo Stuckert/Instituto Lula)