Juíza proíbe acampamento em Curitiba nas vésperas da audiência de Lula

Ela também proibiu a passagem de veículos não cadastrados em áreas próximas ao prédio da Justiça Federal, local do depoimento

Comentar
Compartilhar
08 MAI 2017Por Folhapress20h30
Lula irá depor ao juiz Sérgio Moro nesta quarta-feira (10)Foto: Agência Brasil

Uma juíza do Paraná determinou, após pedido da Prefeitura de Curitiba, a proibição de montagem de acampamentos na cidade entre as 23h desta segunda (8) e as 23h da quarta (10), dia em que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva depõe ao juiz Sergio Moro.

A multa em caso de descumprimento é de R$ 50 mil por dia, decidiu Diele Denardin Zydek, da 5ª Vara de Fazenda Pública da capital paranaense. Ela também proibiu a passagem de veículos não cadastrados em áreas próximas ao prédio da Justiça Federal, local do depoimento.

A prefeitura afirmou à juíza que, por informação obtida com a Secretaria de Segurança Pública, "milhares de manifestantes oriundos de outras cidades e Estados se deslocarão até as proximidades da Justiça Federal (...) e há notícias de que o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra requereu local para montar sua estrutura e acampamento, sob pena de ocupar as ruas e praças de Curitiba".

Ao determinar a proibição, a juíza disse que "há que se diferenciar a garantia de livre manifestação da ocupação de bem público".

"O direito da manifestação não se confunde com a possibilidade de ocupação de bens públicos ou particulares", afirmou.

Em resposta, a Frente Brasil Popular, que une entidades de esquerda, repudiou a decisão e disse que "é uma forma de criminalização dos movimentos sociais, porque busca impedir a vinda pacífica e democrática de milhares de pessoas que buscam debater os rumos da democracia".

"Não conseguirão", afirmou a frente, em nota. "Esperamos que a vinda das caravanas, o direito de ir e vir e a liberdade de manifestação sejam respeitados nos próximos três dias. Em nossas mãos, temos a organização popular, que sempre abre caminhos."