Grupo luta por mulheres na política

Movimento é formado por mulheres da Baixada.

Comentar
Compartilhar
12 AGO 2019Por Caroline Souza07h03
Gabriela Oliveira, Marina Major e Hanna Pereira são as fundadoras do movimento que visa dar visibilidade às candidatasFoto: NAIR BUENO/DIÁRIO DO LITORAL

Apoiar, formar e dar visibilidade para mulheres candidatas. Essa é a proposta do movimento 'Elas Na Política', formado por mulheres da Baixada Santista. O grupo é suprapartidário, ou seja, junta diferentes partidos, mas não se submete ao interesse particular de quaisquer deles.

Fundado por Hanna Pereira, Marina Major e Gabriela Oliveira, o movimento conta hoje com seis mulheres no grupo gestor. No entanto, a ideia é agregar outros coletivos que levantem a mesma bandeira, contando assim com várias mulheres de diferentes cidades.

"Somos um movimento suprapartidário, feito por mulheres, para mulheres e acreditamos que governos mais representativos são necessários para a democracia", resume a co-fundadora do movimento e consultora e coordenadora de campanhas eleitorais, Hanna Pereira.

Três pontos norteiam o movimento: mostrar para as mulheres que elas são capazes; formar aquelas que já têm noção de que podem e, muitas vezes, já tentaram, mas não tiverem apoio ou precisam de um pouco mais de formação; e empoderar, mostrar para as eleitoras a importância de se votar em mulheres.

Um dos objetivos do grupo é alcançar a igualdade de gêneros nos governos da Baixada Santista. "Temos uma representatividade extremamente baixa. Sozinhas, as eleitas têm menos força em pautas de extrema importância para nós e para as crianças. Homens não têm trazido esse olhar e nem vão trazer. Precisamos de mais mulheres eleitas para ampliar essas questões", analisa.

Hoje, nove cadeiras da Baixada Santista são ocupadas por mulheres, sendo sete eleitas e duas por suplência. No total, a região conta com 134 vereadores.

Para Hanna, a campanha em si é muito solitária e desafiadora. "O espaço político foi dominado pelos homens, a cultura interna partidária e das estruturas de governo são masculinas. A gente precisa apoiar as mulheres, precisamos que mais candidatas sejam eleitas para abrir espaços que hoje não temos".

A co-fundadora reforça que as mudanças são urgentes. "Não temos mais tempo para esperar. As mulheres vão ocupar, elas precisam ocupar os espaços para fazer a mudança tão necessária que a gente precisa. Estamos no momento de despertar das lideranças femininas. Para isso continuar crescendo, a gente não pode e não precisa entrar em atrito. Podemos lidar com as diferenças em um âmbito amigável. Isso é sororidade".

Pensando na formação das futuras candidatas, o 'Elas Na Política' iniciou 2019 com um ciclo de palestras. Foram cinco encontros em quatro cidades (São Vicente, Santos, Cubatão e Praia Grande). "Conectamos mulheres que querem ser candidatas, que já tenham sido candidatas e que queiram se informar para saber o básico que seja", ressalta.

A área de atuação do 'Elas na Política' é em campanhas de baixo custo, em que a candidata ou, no máximo, mais uma pessoa administre tudo.

Para subsidiar as formações sem custo para candidatas, o grupo coleta doações financeiras. "Entendemos que, em campanhas de baixo custo, as mulheres não têm como pagar um curso, muito menos uma consultoria", esclarece. Quem quiser ajudar pode acessar o link http://vaka.me/590144.

PESQUISA

O grupo está elaborando a pesquisa 'Panorama das mulheres na política da Baixada Santista', realizada com as vereadoras e eleitoras da região. O material está sendo consolidado e será distribuído gratuitamente online no próximo mês.

Para a pesquisa foram entrevistadas seis vereadoras da Baixada Santista, que também são parceiras do 'Elas Na Política'. São elas: Luciana Castellan, de Peruíbe; Janaina Ballaris, de Praia Grande; Erika Verçosa, de Cubatão; Valéria Bento, de Bertioga; Telma de Souza, de Santos; e Audrey Kleys, de Santos.

"Nós tentamos captar delas as experiências, os desafios e aprendizados da campanha eleitoral, não do mandato", explica Hanna. "Onde elas despertaram para sair candidatas? Esse é um dos maiores desafios das mulheres, se ver capaz de sentar ali, de ser uma parlamentar".

Além das entrevistas com as vereadoras, foi realizada uma pesquisa online para entender o voto feminino.

AGENDA

Os movimentos 'Elas Na Política', 'Mulheres Progressistas' e 'Acredito' estão organizando o encontro 'Mulheres no poder - Articulando a rede para as eleições 2020' para o próximo dia 31, em Praia Grande. "Esperamos conectar desde a liderança da batalha do rap, até a advogada da OAB. Todas. Vai ser um espaço para ouvir demandas e fomentar essas lideranças, de que elas podem ocupar essas cadeiras e levar as bandeiras delas".

No dia 21 de setembro acontece o fórum de discussão 'Políticas públicas para as nossas crianças', em Mongaguá, com foco nos desafios da maternidade, aplicação de políticas públicas de primeira infância na Cidade e criação dos projetos de lei de políticas públicas de primeira infância.

Os locais serão confirmados através das redes sociais do 'Elas Na Política' (www.facebook.com/movimentoelasnapolitica).

Colunas

Contraponto