Acordo regulariza situação da sede do PMDB

Presidente da Comissão Provisória acerta valores com a proprietária do imóvel

Comentar
Compartilhar
25 FEV 201312h33

O presidente da Comissão Provisória do PMDB santista, vereador Marcus De Rosis, fechou na manhã desta segunda-feira (25 de fevereiro) um acordo com a proprietária do imóvel usado como sede da legenda. Os aluguéis estavam atrasados.

Designado na noite de quinta-feira como presidente da comissão, De Rosis afirmou que antes não podia tomar nenhuma iniciativa porque não tinha poderes para qualquer ação. "Agora, com a incumbência de presidir o grupo, pude tomar as decisões. Como havia prometido na sexta-feira, já resolvi as pendências que tínhamos na sede. O PMDB, agora, tem comando".

Segundo Marcus De Rosis, também foram resolvidas as pendências com os dois funcionários do partido.

Os problemas no PMDB santista começaram após as eleições internas. O grupo do vereador Marcus De Rosis saiu vencedor da disputa. O vereador Antônio Carlos Banha Joaquim entrou na Justiça alegando irregularidades. O Poder Judiciário chegou a suspender a eleição interna, deixando a agremiação acéfala.

Sede do partido, que fica no Canal 1 (Avenida Pinheiro Machado), é alugada (Foto: Matheus Tagé/ DL)

Somente na semana passada, a executiva estadual do PMDB designou os membros da comissão provisória. Além de De Rosis, o grupo é composto pelos vereadores Manoel Constantino e Roberto Oliveira Teixeira, o Pastor Roberto, e pelos filiados Ronaldo Ferreira e Caio Nunes.

De Rosis não tem prazo exato de quando será feita nova eleição interna. Ele acredita que isso deve ocorrer entre 60 e 90 dias. "O PMDB agora tem um comando. Não vamos tomar decisões apressadas. Tudo será feito com calma, respeitando prazos e posições internas".