Morre policial que foi trocado por refém na França

O agente se ofereceu para ocupar o lugar de uma mulher na loja Super U, na cidade de Trèbes, invadida pelo atirador Redouane Lakdim.

Comentar
Compartilhar
24 MAR 2018Por Folhapress22h48
Beltrame, que serviu no Iraque, foi levado às pressas ao hospital, mas não resistiu.Foto: Divulgação/Internet

O policial Arnaud Beltrame, 44, que tomou o lugar de uma refém durante o cerco a um supermercado no sudoeste da França, morreu.

Em um comunicado, o presidente Emmanuel Macron chamou Beltrame de herói. O agente se ofereceu para ocupar o lugar de uma mulher na loja Super U, na cidade de Trèbes, invadida pelo atirador Redouane Lakdim.

Durante a ação, Beltrame deixou seu celular em operação, para que a polícia do lado de fora pudesse acompanhar o que estava acontecendo. Depois de ser ouvido um tiro, o local foi invadido, e o atirador, morto.

Beltrame, que serviu no Iraque, foi levado às pressas ao hospital, mas não resistiu. Outras três pessoas morreram no ataque e 16 ficaram feridas.

Redouane Lakdim, um cidadão francês de 25 anos nascido no Marrocos, morava em Carcassonne, não muito longe de Trèbes.

Lakdim era monitorado pelo serviço de segurança por tráfico e outros crimes, mas também por ligações com o movimento salafista.

A polícia afirma que deteve um suspeito de 17 anos que é amigo de Lakdim e sua namorada, que teriam conexão com o atentado.

O ataque, reivindicado pelo Esrado Islâmico, começou quando Lakdim atirou nos ocupantes de um carro, que ele roubou, e depois em um grupo de policiais, antes de invadir o mercado.