X
Mundo

Macri defende que Mercosul rejeite eleições venezuelanas

O presidente argentino disse que as eleições no país encobrem a ideia de que o regime se trata de uma ditadura

Macri defendeu que o Mercosul rejeite eleições venezuelanas / Associated Press

O presidente argentino, Mauricio Macri, disse nesta terça-feira (18), ao assumir a presidência pro-tempore do Mercosul, que o bloco deve rejeitar os resultados das "eleições fraudulentas" que vêm sendo celebradas na Venezuela  e que encobrem a ideia de que o regime se trata de uma ditadura. O ditador Nicolás Maduro assume novo período de gestão a partir de 10 de janeiro.

"Não podemos deixar de nos preocupar com a crise humanitária a que estão sujeitos milhões de venezuelanos, muitos deles escapando do país, por conta da dura repressão do governo e da falta de condições de vida."

Macri pediu ainda que o bloco não baixe a guarda na pressão de "denunciar as fraudes eleitorais como as mais recentes e continuar trabalhando pela liberação dos presos políticos e a restituição da democracia".

Já o presidente boliviano, Evo Morales, defendeu aliado Maduro dizendo que a Venezuela está sendo vítima de uma "guerra econômica".

Acrescentou que o Mercosul deve "integrar e não expulsar membros", referindo-se à suspensão da Venezuela do bloco.

Também pediu que se "respeitem os problemas e a soberania de cada país", antes de criticar o regime chavista.

Deixe a sua opinião

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Saúde

Brasil chega a 62,03% da população com vacinação completa contra a covid-19

O número de pessoas vacinadas com ao menos uma dose contra a covid-19 no Brasil chegou nesta sexta-feira, 26, a 158.650 689

Cotidiano

Procon de Santos fiscaliza descontos e faz autuações no Black Friday

Nove fiscais - seis do Procon-Santos e três da Regional do Procon-SP - passaram por unidades de lojas como Carrefour, Fast Shop, Extra, Magazine Luiza, Renner, Lojas Cem, entre outras

©2021 Diário do Litoral. Todos os Direitos Reservados.

Layout

Software