Casa Branca volta a negar caso de Trump com atriz pornô

O porta-voz Raj Shah afirmou que Trump nega 'forte, clara e consistentemente' as alegações de Stephanie Clifford

Comentar
Compartilhar
27 MAR 2018Por Folhapress00h30
A Casa Branca voltou a negar o caso de Donald Trump com a atriz pornô Stormy DanielsFoto: Divulgação/Fotos Públicas

No dia seguinte à primeira entrevista televisiva da atriz pornô Stephanie Clifford (conhecida como Stormy Daniels), o presidente Donald Trump negou, por meio de um porta-voz, tudo o que ela disse, dos detalhes sobre o suposto encontro sexual com o republicano à ameaça que diz ter sofrido quando revelou o caso a uma revista.

Raj Shah afirmou que Trump nega "forte, clara e consistentemente" as alegações de Clifford. O porta-voz disse ainda que os relatos dela são inconsistentes.

Em entrevista ao programa "60 Minutes", da CBS, ela contou que um homem a seguiu num estacionamento em Las Vegas, viu sua filha e disse que seria "lastimável" se algo acontecesse à mãe daquela criança.

Shah afirmou ainda que "nada corrobora as alegações dela" e que o presidente "não acredita que ela tenha sofrido ameaças". Trump até o momento não tuitou sobre o caso, como costuma fazer.

Logo após a exibição do "60 Minutes", um representante legal de Michael Cohen (o advogado de Trump que pagou cerca de R$ 430 mil pelo silêncio da atriz pornô 11 dias antes da eleição presidencial de 2016) fez ameaças a Clifford e ao advogado dela.

Na visão dele, a atriz teria insinuado que Cohen estava por trás da tentativa de intimidação de 2011 e, por isso, deveria responder por tentativa de difamação.

Enquanto isso, episódios em que Cohen teria ameaçado jornalistas que apuravam informações sobre Trump vieram à tona. Um deles envolve um repórter do site Daily Beast, que divulgou uma mensagem em que Cohen prometia arruinar sua vida.

Michael Avenatti, o advogado de Clifford, também deu entrevistas afirmando que o advogado de Trump tem um histórico de comportamento violento e que ele e sua cliente mostrariam "quem ele é".

Avenatti anunciou que vai processar Cohen por difamação por ele ter dito que Clifford mentiu ao relatar o suposto "affair" com Trump.

Mais de 20 milhões de pessoas se sentaram diante da televisão para assistir à entrevista da atriz. Ela contou que transou com o presidente americano sem preservativo e que ainda deu tapinhas com uma revista nas nádegas do futuro ocupante da Casa Branca -o rosto dele estampava a capa da publicação.

Suas revelações renderam ao "60 Minutes" a maior audiência da última década -o último pico comparável fora registrado em 2008, quando de uma entrevista com o casal Obama.

Desde que o caso veio à tona, Clifford foi catapultada aos holofotes e está fazendo shows em boates de strip-tease dos EUA.

Ela batizou a sua turnê Make America Horny Again, uma apropriação do lema de campanha de Trump em que não promete fazer a América voltar a ser grande, mas sim excitada de novo.