Ponte estraga estreia de Dudu e Verdão perde em casa antes do Derby

A equipe campineira alcançou os três pontos nesta segunda rodada do Campeonato Paulista aproveitando um desajuste defensivo do Palmeiras

Comentar
Compartilhar
05 FEV 201523h11

O palmeirense foi ao Palestra Itália nesta quinta-feira animado para ver pela primeira vez como titular o atacante Dudu, festejado por ser cobiçado por São Paulo e Corinthians e acabar vestindo alviverde, e soube da volta do meia Cleiton Xavier assim que chegou. Cenário perfeito para o time chegar embalado ao Derby de domingo. Mas havia a Ponte Preta no meio do caminho, e o Verdão perdeu por 1 a 0 em casa.

A equipe campineira alcançou os três pontos nesta segunda rodada do Campeonato Paulista aproveitando um desajuste defensivo do Palmeiras, que deixou Wanderson livre para aproveitar rebote de Fernando Prass e balançar as redes aos 16 minutos do segundo tempo. Assim, os visitantes implantaram desespero em um anfitrião que já tinha problemas para atacar.

Após a primeira derrota com Oswaldo de Oliveira, que tinha vencido dois amistosos e a estreia do Paulista, diante do Grêmio Osasco Audax, o Palmeiras recebe o Corinthians no Palestra Itália, às 17 horas (de Brasília) de domingo. Já a Macaca, recuperada da derrota para a Portuguesa, encara o Botafogo, às 19h30 de domingo, em Ribeirão Preto.

Mesmo entre os titulares, Dudu não conseguiu evitar a derrota do Palmeiras nesta quinta (Foto: Geovani Velasquez/Brazil Photo Press/Estadão Conteúdo)

O jogo

Oswaldo de Oliveira, enfim, colocou em campo a equipe que já desejava ter usado na estreia do Paulista, no sábado. Bastou Alan Patrick e Dudu acertarem suas documentações para serem titulares. Mas foi difícil que a bola chegasse aos substitutos de Robinho e Maikon Leite, autores de gols no fim de semana.

A Ponte Preta cumpriu a promessa de não se intimidar ou se conformar com o empate. Adiantou a marcação e passou os primeiros dez minutos trocando passes no campo do Palmeiras. Coube aos anfitriões mostrarem aplicação tática para impedir que o rival entrasse na sua área. João Paulo, novidade na lateral esquerda no lugar do veterano Zé Roberto, mostrava qualidade para fechar os espaços.

Com a Macaca contida, a dificuldade era sair da defesa. João Paulo errava passes demais e demorou para Gabriel e Renato se acertarem na movimentação. Quando conseguiram, o Verdão teve momentos de superioridade, aproveitando a disposição com condições de tabelar de Alan Patrick e Dudu.

Neste momento, o Palmeiras chegou a balançar as redes, aos 14 minutos, quando Alan Patrick acertou o travessão em cobrança de falta e Leandro Pereira aproveitou o rebote, mas o árbitro viu falta do centroavante no lance. E a Ponte enxergou que precisava se ajustar defensivamente para não perder.

Durante mais de meia hora, a partida se tornou vítima da aplicação tática defensiva dos dois times, que se equilibravam sem levar real perigo ao adversário. A reposição de ambas as equipes era melhor do que a troca de passes e a movimentação para ter espaço de finalização.

Para o segundo tempo, o Palmeiras deu passos à frente e passou a ficar com mais frequência no ataque, mas ainda sem inspiração decisiva de nenhum jogador. Com isso, Oswaldo de Oliveira resolveu aumentar a ofensividade do time, abrindo mão de Allione e Leandro Pereira para colocar Cristaldo e Leandro Pereira.

O desequilíbrio, porém, veio em substituição da Ponte. O sistema defensivo do Verdão não estava tão firme e o atacante Wanderson, seis minutos depois de sair do banco de reservas, apareceu com liberdade na grande área para aproveitar rebote de defesa de Fernando Prass e balançar as redes, aos 16 minutos do segundo tempo.

O gol implantou desespero no Palmeiras, e erros que não apareciam. Aos 18 minutos, Gabriel perdeu a bola dentro da grande área e ela sobrou para Roni perder chance incrível, acertando o travessão. Um minuto depois quase sofrer o segundo, o Verdão respondeu em chute de Alan Patrick desviado pela defesa adversária.

Oswaldo jogou o time ainda mais para frente, trocando o volante Renato pelo meia Robinho. Faltava organização, mas não disposição e movimentação. Assim, aos 34 minutos, Cristaldo recebeu cruzamento de Lucas e cabeceou firme no canto contrário do goleiro Matheus, que executou linda defesa. Provando a qualidade da Ponte para segurar o resultado e estragar o embalo alviverde para o Derby.