Na volta ao País, Felipão diz que fará poucas mudanças na seleção

Técnico da Seleção Brasileira demonstrou confiança na evolução dos escalados após a derrota no amistoso para a Inglaterra, em Londres.

Comentar
Compartilhar
08 FEV 201315h55

Luiz Felipe Scolari retornou nesta sexta-feira (8) ao Brasil, ao lado de alguns jogadores convocados e da comissão técnica, com um discurso em que demonstrou confiança na evolução da seleção brasileira após a derrota no amistoso da última quarta para a Inglaterra, por 2 a 1, no Estádio de Wembley, em Londres, que marcou o seu retorno ao comando da equipe. Assim, ele reiterou que fará poucas mudanças na próxima convocação, para dois jogos que irão acontecer em março.

"É bom que enfrentemos adversários fortes. Os jogadores sabem disso, até para mantermos uma linha para os próximos jogos. Há alguns detalhes que podem ser diferentes na compactação da equipe que precisamos arrumar. Um ou outro jogador em melhor condição deverá estar conosco porque vamos acrescentar dois ou três jogadores. Teremos dois jogos, importante para movimentarmos e estruturarmos algumas coisas. Isso servirá para ter um detalhe do que realmente precisamos modificar para a Copa das Confederações", disse Felipão, no desembarque no Brasil.

O treinador da seleção voltou a apontar a questão física como principal responsável pela derrota para a Inglaterra, apesar de apenas quatro titulares (Paulinho, Ronaldinho Gaúcho, Neymar e Luis Fabiano) estarem em início de temporada no futebol brasileiro - os demais jogam na Europa, assim como os ingleses, e estão em atividade contínua desde agosto. "Tivemos desvantagem no aspecto físico. Os ingleses estão em competição e isso faz a diferença em um jogo entre seleções de alto nível", afirmou Felipão.

Felipão garantiu que haverá poucas alterações na convocação para os amistosos que acontecem em março (Foto: Divulgação)

Até a disputa da Copa das Confederações, entre os dias 15 a 30 de junho, no Brasil, a seleção brasileira fará mais quatro amistosos. Serão dois agora em março, contra a Itália, no dia 21, em Genebra, e diante da Rússia, no dia 25, novamente em Londres. E outros dois em junho, outra vez com a Inglaterra, no dia 2, no Maracanã, e frente à França, no dia 9, na Arena Grêmio Por isso mesmo, Felipão não tem muito tempo para fazer testes, optando por manter uma base que já levou para o compromisso da última quarta-feira em Wembley.

Titular do Brasil no amistoso com a Inglaterra, o atacante Luis Fabiano pediu calma para a equipe poder evoluir. "O começo é duro, difícil mesmo", disse o jogador do São Paulo, que não teve boa atuação e foi substituído ainda no intervalo. "Não adiante se iludir, a gente precisa medir forças com grandes seleções, para descobrir qual é o nosso nível. Daqui a pouco teremos a Copa das Confederações e precisamos ir bem para ter mais confiança e formar o grupo para a Copa do Mundo", concluiu ele, também ao desembarcar nesta sexta-feira no País.