Love encerra jejum, e Timão cumpre maratona com retrospecto perfeito

Com o importante resultado, os comandados de Tite chegam aos 35 pontos, na liderança isolada da chave 2

Comentar
Compartilhar
29 MAR 201518h11

O Corinthians encerrou a maratona de quatro jogos em oito dias no Campeonato Paulista com retrospecto perfeito. Na tarde deste domingo, o invicto Timão pôs fim à árdua sequência com vitória sobre o ameaçado Bragantino, em pleno estádio Nabi Abi Chedid, pelo placar de 1 a 0. O gol paulistano no interior, em duelo válido pela 13ª rodada estadual, foi anotado por Vagner Love, que, enfim, encerrou a expectativa pelo primeiro tento desde a sua chegada.

Com o importante resultado, os comandados de Tite chegam aos 35 pontos, na liderança isolada da chave 2, trilhando o retrospecto de 11 vitórias e dois empates. Antes disso, a equipe alvinegra havia superado Capivariano (3 a 2), Portuguesa (2 a 0) e Penapolense (5 a 3). Por sua vez, o Massa Bruta estaciona nas sete unidades e segue na penúltima posição, atrás apenas do já rebaixado Marília – que sequer triunfou na elite.

Passada a maratona, os corintianos voltam a focar na Copa Libertadores da América, onde terão pela frente o Danubio-URU, lanterna do grupo 2. O duelo contra a formação de Montevidéu ocorre nesta quarta-feira, às 22 horas (de Brasília), em Itaquera. O Timão, com retrospecto perfeito na competição internacional, figura na liderança da chave, com nove pontos – três unidades superior ao rival São Paulo.

O compromisso seguinte dos comandados de Tite no Estadual está agendado para o próximo domingo, às 16 horas, diante do Santos, na zona leste paulistana. O clube de Bragança Paulista, por sua vez, tenta juntar os cacos contra o Rio Claro para seguir respirando. O jogo ocorre no mesmo dia, mas às 18h30, em domínio do Galo Azul.

Love desencantou pelo Timão (Foto: Fábio Moraes/Futura Press)

O jogo

Procurando seu primeiro gol defendendo o Corinthians, Vagner Love encontrou um empecilho logo no quarto minuto. O camisa 29 driblou Adilson Goiano no meio-campo e levou uma trombada do volante mandante, que fez seu rosto sangrar. Mesmo com um curativo incômodo, o atacante foi às redes com nove jogados. O ex-palmeirense aproveitou cruzamento rasteiro de Luciano, após rebote do goleiro Lauro, e só teve o trabalho de balançar a rede desprotegida.

Quando o relógio apontou a marca dos 24, o Timão, que congestionava o setor central e obrigava o Massa Bruta a atacar pelas pontas – através de Diego Macedo, com passagem pelo Parque São Jorge, e o participativo Pará –, sofreu um duro golpe: Luciano tentou alcançar a bola no campo de ataque, colocou a mão na parte posterior da coxa direita e desabou. Aos prantos, o meia-atacante, com participação providencial no primeiro tento, deixou o campo para a entrada do paraguaio Ángel Romero.

Com a marcação encaixada, os comandados de Tite não economizaram nas chegadas firmes para conter as investidas do desesperado clube de Bragança Paulista. Petros protagonizou duras divididas com Diego Macedo, ao passo que Bruno Henrique não aliviou para o experiente Caio, responsável por articular as jogadas dos donos da casa, embora tenha deixado a camisa 10 com Léo Gago.

Procurando se afirmar com a camisa corintiana, Ángel Romero teve duas chances para ampliar a vantagem no segundo período. Logo no primeiro minuto, o paraguaio aproveitou cruzamento rasteiro de Bruno Henrique, mas concluiu fraco. Mesmo assim, a bola desviou no goleiro Lauro e tocou a trave. No ataque seguinte, o dianteiro que defendia o Cerro Porteño-PAR mostrou impulsão para cabecear um cruzamento cobrado no setor direito. A conclusão colocada também carimbou o poste interiorano.

O Bragantino mostrou evolução com as entradas de Erick e Wilker, que se movimentavam constantemente no setor ofensivo e apresentaram outra opção de jogo, além das bolas paradas. Todavia, o Timão tratou de se revigorar. Tite colocou Rafl e Jadson em campo e teve a resposta esperada. Os paulistanos retomaram o controle da partida e tiveram chances de ampliar a contagem.

Aos 29 minutos, Vagner Love entortou a marcação bragantina, invadiu a área e cruzou para Ángel Romero. O paraguaio, por causa da força da investida, não conseguiu a conclusão imediata, mas acionou Cristian, que carimbou a marcação mandante na firme conclusão. Nos instantes finais, o Bragantino se lançou ao ataque e parou em Walter no melhor lance: com 44 jogados, Caio cobrou falta por baixo da barreira e viu o arqueiro corintiano se esticar no canto esquerdo para garantir o fim da maratona com aproveitamento de 100%.