Com gols de Kardec e Ceni, São Paulo vence após protestos no Morumbi

Classificado antecipadamente para a próxima fase do Paulistão, o São Paulo é o líder do grupo A, com 29 pontos

Comentar
Compartilhar
29 MAR 201518h08

A torcida do São Paulo protestou contra o técnico Muricy Ramalho e exigiu raça dos jogadores antes da partida deste domingo, mas, em campo, o time cumpriu seu papel e derrotou o Linense por 3 a 0, recebendo apoio no fim. Escalado com uma formação mista, o Tricolor fez o suficiente para garantir o resultado positivo no Campeonato Paulista, sem uma grande atuação.

O primeiro gol da partida foi marcado por Rogério Ceni. Depois de ter falhado em um golaço de cobertura do Palmeiras na quarta-feira, o capitão são-paulino bateu falta para colocar sua equipe em vantagem neste domingo, já no segundo tempo. O atacante Alan Kardec, que entrou na vaga de Alexandre Pato no intervalo, completou o placar marcando duas vezes.

Classificado antecipadamente para a próxima fase do Paulistão, o São Paulo é o líder do grupo A, com 29 pontos. Mais do que a importância para o Estadual, o triunfo deste domingo serve para recuperar um pouco do ânimo do Tricolor para o confronto com o San Lorenzo, na quarta-feira, em Buenos Aires, pela Copa Libertadores da América.

Além disso, o resultado também alivia a crise no Morumbi. Antes mesmo de a bola rolar, torcedores protestaram em frente ao Morumbi com faixas cobrando raça e também com a simulação de um treino do clube, ironizando Muricy Ramalho, que chegou a entregar o cargo depois da derrota no clássico contra o Palmeiras, mas foi convencido pela diretoria a ficar. Já no fim do jogo, a torcida reconheceu a vitória da equipe e até gritou ‘olé’.

Ceni marcou de falta para o Tricolor (Foto: Evelson de Freitas/Estadão Conteúdo)

O jogo

Com a equipe bastante modificada, o São Paulo não exibiu um bom futebol no começo da partida, mesmo ficando mais presente na frente. A primeira chance da equipe de Muricy Ramalho saiu em cobrança de falta, aos 12 minutos, mas o chute de Alexandre Pato foi para fora. Pouco depois, o Linense ficou sem seu técnico no banco, pois Narciso foi expulso pelo árbitro Guilherme Ceretta de Lima por conta de reclamação.

Aos 17, o Tricolor teve sua melhor chance da primeira etapa. Paulo Miranda aproveitou cobrança de falta para a área e cabeceou rente à trave, na rede pelo lado de fora. Porém, o time da casa pouco criava para efetivamente levar perigo à meta visitante. O Linense se fechou em busca de contragolpes e até teve chance em cobrança de faltas, mas Éric acertou a barreira.

O time do interior também tentou ameaçar em outra cobrança de falta, que foi alçada para a área e sobrou para Adalberto, que chutou por cima do travessão. O São Paulo continuou sem criatividade e ímpeto, mas Centurión ainda levantou a torcida com finalização para fora.

Ao término do primeiro tempo, a torcida são-paulina vaiou o desempenho da equipe. No intervalo, Muricy Ramalho tirou Alexandre Pato e colocou Alan Kardec. O São Paulo conseguiu aliviar a pressão e abrir o placar aos sete minutos, depois que Kardec foi derrubado perto da meia-lua. O goleiro Rogério Ceni bateu a falta com perfeição e marcou o gol.

Com a vantagem, o São Paulo seguiu com o controle da partida, mesmo sem grande atuação. Centurión recebeu pela esquerda e tocou na área para Boschilia, que chutou em cima da marcação. O Linense ainda tentava encontrar alguma forma de responder, mas sem sucesso.

Como o time do interior passou a dar mais espaços, permitiu contra-ataque do São Paulo. Em uma das chances, Boschilia carregou a bola pelo meio e tocou na esquerda para Carlinhos, que rolou na área para Centurión, mas o argentino desperdiçou mandando por cima.

Aos 30, o São Paulo ampliou. Thiago Mendes fez jogada pela direita e cruzou rasteiro para Alan Kardec finalizar no canto. A situação ainda se complicou ainda mais para o Linense pouco depois, com a expulsão de Igor. Assim, o time da casa teve tranquilidade para administrar e fechar o placar com outro gol de Kardec, que, aso 43, recebeu cruzamento de Ewandro e mandou com o peito para a rede.