Ídolo do Internacional, Fernandão morre em acidente de helicóptero

Ex-atacante tinha 36 anos e, acompanhado de quatro pessoas, caiu com a aeronave às margens do rio Araguaia, em Goiás

Comentar
Compartilhar
07 JUN 201409h29

Ìdolo do Internacional, Fernando Lúcio da Costa, o popular Fernandão, morreu na madrugada deste sábado. O ex-atacante, de 36 anos, foi vítima de um acidente de helicóptero quando retornava de sua casa, na pacata cidade de Aruanã-GO, para a capital Goiânia (distante 315 quilômetros), por volta da 1h30 da manhã. Além do eterno atleta colorado, estavam na aeronave outras quatro pessoas: Edmílson de Sousa Leme (vereador do município de Palmeiras de Goiás), Antônio de Pádua, Lindomar Mendes Vieira (funcionário da fazenda) e o piloto Milton Ananias, coronel da Polícia Militar.

De acordo com dados da Polícia Civil, o helicóptero (modelo Esquilo, prefixo PT-YJJ), que partiu da fazenda de Fernandão, foi encontrado em um banco de areia, aproximadamente às 3 horas da manhã, às margens do Rio Araguaia. A área da tragédia dista 15 quilômetros do centro de Aruanã.

Natural de Goiânia, o atleta é cria do Goiás, mas viveu a maior fase de sua carreira no Sul. Defendendo o Internacional, conquistou duas vezes o Campeonato Gaúcho, uma Copa Libertadores da América, uma Recopa Sul-americana e um Mundial de Clubes, em 2006, onde levantou o troféu do maior torneio interclubes do futebol. Pelo espírito de liderança, ostentou a braçadeira de capitão durante boa parte dos seus cinco anos com o manto colorado.

Sua primeira exibição pelo clube vermelho e branco de Porto Alegre ocorreu logo em um Gre-Nal, no dia 10 de julho de 2004. E a estreia não podia ser melhor: marcou o gol que selou a vitória do Saci sobre o Tricolor. Por coincidência, o gol 1000 na história do clássico. O compromisso de número 360 foi válido pelo Campeonato Brasileiro.


O ex-atacante Fernandão, um dos maiores ídolos da história do Internacional, morreu por volta das 2 horas da manhã deste sábado (7) (Foto: Alexandre Lopes/ ABr)

Após defender o São Paulo na Copa Libertadores da América, Fernandão se aposentou ainda novo, em 2011, e rapidamente tornou-se diretor executivo do Inter. No clube gaúcho, ainda tornou-se treinador, mas não repetiu o sucesso conquistado nas quatro linhas.

Mestre de cerimônias da reabertura do Beira-Rio, o ex-atacante estava trabalhando no SporTV, como comentarista de futebol.