Artilheiro do Paulistão comenta chance de jogar pelo Santos: “Uma alegria enorme”

Rafael Longuine tem conseguido chamar a atenção atuando por uma equipe de pouca tradição e que, por enquanto, sequer está entre os times que vão às quartas de final da competição

Comentar
Compartilhar
20 MAR 201511h21

Em um Campeonato Paulista completamente dominado pelos quatro clubes grandes do Estado, Rafael Longuine tem conseguido chamar a atenção atuando por uma equipe de pouca tradição e que, por enquanto, sequer está entre os times que vão às quartas de final da competição. 

O meia-atacante já fez oito gols em dez partidas e é o artilheiro do Paulsitão, desbancando jogadores como Pato, Luis Fabiano, Guerreiro, Ricardo Oliveira e Robinho.

Diante da boa fase no Regional mais forte do país, Rafinha, como é conhecido, despertou o interesse do Santos, que já conversou com os dirigentes do Audax para consultar as possibilidades de uma negociação. 

“Até mim não chegou nada. Eu ouvi falar pela imprensa, li algumas matérias, mas, me ligar, ninguém ligou”, disse o atleta de 24 anos, ciente de sua valorização. “Muita especulação, conversei com meu empresário esses dias, mas eu falo para ele nem ficar me contando essas coisas porque eu quero focar no meu trabalho”, completou. 

Com 100% de seus direitos econômicos e contrato até o fim de abril, Rafael Longuine pode assinar com qualquer clube sem gerar custos ao seu contratante. Exatamente no perfil de jogador que o Peixe tem buscado desde o início da temporada, quando a nova diretoria se deparou com uma situação financeira delicada.

Ao comentar a possibilidade de atuar pelo time de Vila Belmiro, Rafael admitiu a satisfação. “Seria uma alegria enorme, pela grandeza do Santos”, afirmou.

O meia-atacante já fez oito gols em dez partidas e é o artilheiro do Paulistão (Foto: Divulgação)

E dar uma assistência para Robinho marcar um gol faz parte do sonho do meia. “Nem fala. Seria perfeito”, revelou. 

Rafael Longuine apareceu com destaque no Comercial de Ribeirão Preto, quando ajudou a equipe a subir à primeira divisão, em 2011, depois de 25 anos. Em seguida, foi jogar na Áustria e retornou para defender o Rio Branco de Americana, antes de chegar ao Audax. 

Agora, o goleador do Paulistão, com vantagem de dois gols para Alexandre Pato, seu concorrente mais próximo, quer aproveitar a boa fase e, quem sabe, ter sua primeira chance em um grande clube do futebol brasileiro, como o Santos. 

“Eu sempre procurei treinar muito forte. Antes do Paulista, foquei no trabalho porque sabia que poderia ser um salto na minha carreira. O Campeonato é muito visado e, se você vai bem, naturalmente vai chamar a atenção. Me preparei bastante e venho colhendo os frutos”, explicou, antes de reafirmar que ainda não recebeu propostas, mas que não são só clubes paulistas que o sondaram. “Não chegou nada concreto, mas tem algumas sondagens de clubes de São Paulo e de fora do Estado”, contou. 

Ao ser questionado sobre qual jogador do atual elenco santista mais se assemelha ao seu estilo de jogo, Rafael Longuine preferiu não polemizar e destacou suas principais virtudes dentro de campo.  

“Não sei dizer na posição de quem, mas eu sou meia-atacante, gosto de dar passe para gol, mas também gosto de chegar para finalizar, gosto de fazer gol. No Audax, eu também tenho que voltar para buscar a bola”, falou o jogador.

O Santos sabe que pode perder Lucas Lima, seu principal meia de armação, no meio do ano. Além disso, o fato de Rafael ser um jogador de custo zero chamou a atenção da diretoria alvinegra, que, em silêncio, ainda analisa a possibilidade de fazer uma oferta oficial para tentar fechar o negócio.