Ferraz festeja titularidade e compara Santos de agora com time de 2014

O lateral fala entusiasmado sobre a equipe e a pressão em cima dos jogadores para manter o clube em boa fase

Comentar
Compartilhar
19 MAR 201519h33

Apenas três jogadores do Santos jogaram todas as partidas do time até aqui, mesmo que não o tempo inteiro: Lucas Lima, Rento e Vitor Ferraz. O lateral, porém, vive uma situação atípica, pois iniciou o ano como titular da lateral direita e tem sido improvisado na esquerda depois das lesões sofridas por Chiquinho e Caju.

"Estou aqui para ajudar o Santos. É o que venho falando desde quando cheguei aqui. Para mim não é novidade jogar na lateral-esquerda. Está sendo um prazer começar entre os 11. Na esquerda ou direita, quero estar no jogo", avisou o atleta.

Com problemas musculares, Cicinho, até então titular absoluto da lateral direita, não pôde começar a temporada com o time. Vitor Ferraz ganhou a chance com Enderson Moreira e aproveitou muito bem, ganhando elogios em praticamente todos os jogos. Agora, já ambientando, o jogador fala entusiasmado sobre a equipe e a pressão em cima dos jogadores para manter o clube em boa fase.

"Olha, a pressão de jogar no Santos é sempre muito grande. Principalmente com o DNA de jogar para frente, vencer... Sempre tem essa pressão. A sequência de vitórias tem sido muito boa, tem aumentado a confiança de todos. Em Marília, entramos com um time alternativo e o time manteve a qualidade, venceu”, comentou.

Em 2014, Vitor Ferraz teve poucas chances de mostrar serviço e ainda foi prejudicado por uma lesão nas costas, sofrida durante o clássico contra o Corinthians.

“Está sendo um prazer começar entre os 11

“O Cicinho vinha bem, o time vinha bem, eu não tive sequência”, lembrou, antes de pontuar as principais diferenças do Peixe de 2014. "Esse ano temos uma constância de jogo bem maior. Conseguimos não alternar dentro da partida. Esse ano temos conseguido ter uma regularidade dentro do jogo e isso é muito bom, porque não dá chance de o adversário crescer", explicou.

Além de tudo, Vitor Ferraz destacou a escolha da diretoria santista ao efetivar Marcelo Fernandes na vaga de Enderson Moreira, técnico que não era bem visto pela maioria dos atletas do elenco.

"Depois da saída do Enderson, acho que foi até unanimidade do grupo o Marcelo ficar. É um cara que já tá conosco, já conhece todo mundo, está no clube há bastante tempo. Conhece todos os buracos aqui do CT. Estamos acostumados com o estilo dele. O grupo todo quis isso. A diretoria, acertadamente, na minha opinião, permitiu que ele ficasse", concluiu.

Neste sábado, já classificado para a fase de mata-mata do Campeonato Paulista, O Peixe, ainda invicto e líder geral da classificação, encara o Audax no Pacaembu.