Oswaldo aponta convocação precoce e teme lesão de Valdivia pelo Chile

Em tratamento de lesão na coxa esquerda desde novembro, o meia atuou pela última vez em 7 de dezembro e fez seu primeiro treino com bola ao lado de todo o elenco

Comentar
Compartilhar
19 MAR 201516h00

Oswaldo de Oliveira não esconde seu incômodo pela convocação de Valdivia. Em tratamento de lesão na coxa esquerda desde novembro, o meia atuou pela última vez em 7 de dezembro e fez seu primeiro treino com bola ao lado de todo o elenco só nessa quarta-feira. Na próxima semana, porém, o chileno estará à disposição da seleção para amistosos, e o técnico teme que o jogador mais caro do Palmeiras se machuque.

“A trajetória de recuperação, todos os protocolos aplicados até o momento davam conta de que, nesta data, ele não estaria pronto para jogar, principalmente pela seleção chilena. É uma convocação precoce que coloca em risco, inclusive, a integridade física do jogador”, falou o treinador ao Sportv.

“Acompanhamos o Valdivia diariamente, com calma e tranquilidade, para que nada atrapalhe a recuperação. Nessa transição do Palmeiras para esses dois amistosos, espero que haja consciência de que a precipitação pode ser fatal para as pretensões não só do Palmeiras, mas para a seleção chilena, que jogará uma Copa América daqui a pouco”, reforçou.

Oswaldo de Oliveira considera convocação como precoce (Foto: Cesar Greco/Agência Palmeiras)

Oswaldo esperava poder usar o camisa 10 pela primeira vez no dia 29, contra o Red Bull. Mas, no mesmo dia, o armador estará com o Chile para enfrentar o Brasil, na Inglaterra, e antes disso, na próxima quinta-feira, fica à disposição diante do Irã, na Áustria. O Palmeiras solicitou a dispensa de Valdivia, mas não conseguiu, e Oswaldo não tem nem a informação de que médicos do clube da seleção trocaram informações sobre o atleta.

“Fui pego de surpresa. A notícia não é simpática para nós. Não ficamos muito satisfeitos com essa convocação. É legal, legítima, importante para o jogador, mas a nossa conta era de que ele voltasse a jogar, e espero que ainda aconteça, pelo Palmeiras. De forma racional, essa volta do Valdivia tinha que ficar mais a cargo do Palmeiras. Só que há imposição da Fifa e vamos acompanhar para ver o que vai acontecer”, indicou, feliz, ao menos, com a motivação de seu comandado.

“O Valdivia tem me impressionado, exatamente, pela motivação e disposição, tanto nos trabalhos internos quanto agora, que passou para o campo. Na fase de musculação e fisioterapia, eu tinha uma conversinha com ele de manhã e à tarde para colher uma impressão e sempre o achei muito otimista. Minha expectativa é muito saudável e otimista sobre esse jogador”, comentou.