Fortes chuvas inundam árido deserto do Atacama, no norte do Chile

Meios de comunicação locais informaram que duas pessoas morreram na cidade costeira de Chañaral

Comentar
Compartilhar
26 MAR 201515h36

Inundações causadas por chuvas incomumente fortes bloquearam estradas, provocaram apagões e ameaçam várias comunidades na região do deserto do Atacama na madrugada desta quinta-feira.

Meios de comunicação locais informaram que duas pessoas morreram na cidade costeira de Chañaral. Pelo menos 24 estavam desaparecidas em comunidades afetadas pelas inundações, informou o vice-ministro do Interior, Mahmud Aleuy.

O governo declarou estado de exceção na região na quarta-feira, o que significa que o controle da área passa para a Forças Armadas, que devem assegurar a ordem pública. A presidente Michelle Bachelet sobrevoou as áreas inundadas na tarde de quarta-feira.

Tempestades e chuvas torrenciais que tiveram início na terça-feira causaram o transbordamento do rio Copiapó e levaram à retirada da população de algumas áreas por causa do temor de deslizamentos. As águas chegaram até o hospital de Copiapó, segundo mostram imagens de televisão.

Helicópteros tiveram de retirar pessoas que moram nas proximidades da margem do rio porque as estradas estavam bloqueadas. Algumas pessoas se negaram a abandonar suas casas.

A mineradora estatal Codelco informou que suas operações na área foram suspensas temporariamente, em razão do bloqueio das vias que levam a algumas minas, mas seus depósitos, o que inclui a maior mina aberta de cobre do mundo, não foram afetados.

O ministro do Interior Rodrigo Penailillo disse que o estado de exceção foi declarado para facilitar a liberação dos recursos necessários para resgatar as pessoas afetadas pelas inundações.