Desgraça Caiçara promove quebra de recordes de doação de sangue

Além de brincar com problemas da Região, os criadores da página também vem ajudando quem precisa com campanhas na internet.

Comentar
Compartilhar
05 FEV 201317h57

Atualmente com mais de 30 mil fãs no Facebook, a página Desgraça Caiçara tornou-se popular na Baixada Santista por fazer piada com os problemas enfrentados pelas cidades da Região. Mas, além disso, recentemente a página tem se notabilizado por se envolver em campanhas sociais, principalmente nas de doação de sangue.

A primeira vez, foi no caso de Ana Carolina Cópia Teixeira, que após ser atropelada, necessitava de doação de sangue. Com a participação da página, em um único dia, 59 pessoas procuraram a Santa Casa de Santos para realizar a doação. Segundo o Banco de Sangue do hospital, o número de doadores direcionados a uma única pessoa havia sido o maior dos últimos cinco anos.

De acordo com a Santa Casa, do dia 26 de setembro até o óbito, 1º de outubro, 139 pessoas procuraram o Banco de Sangue para doar especificamente para Ana Carolina. Este havia sido o primeiro recorde registrado pelo hospital. Na postagem da página Desgraça Caiçara, mais de 2 mil pessoas compartilharam o pedido de doação de sangue para a jovem.

“O primeiro acontecimento foi o de Ana Carolina. Vimos que logo no primeiro post a reação de todos foi positiva e aceitaram muito a ideia se propondo a ajudar, nunca havíamos pensado nisso. A Ana Carolina era conhecida de um dos donos da página”, conta Bruno Henrique Vásquez, um dos donos da página.

Com mais de 30 mil fãs, a página ajudou a quebrar dois recordes de doação de sangue (Foto: Reprodução/Facebook)

O segundo recorde de doação de sangue veio com Fabrício Rocha de Abreu. Cerca de 220 doares apareceram em três dias, ultrapassando o recorde anterior, de 139. Na página, mais de 230 pessoas compartilharam o pedido de doação de sangue.

Fabrício sofreu um acidente de moto no dia 23 de dezembro e ficou internado na UTI da Santa Casa de Santos. Depois de passar por uma cirurgia que durou oito horas, ele teve uma hemorragia e precisou de transfusão de sangue. Como tipo sanguíneo dele (O-) é pouco doado, parentes e amigos publicaram o apelo no Facebook.

Sobre isso, Bruno afirma que em ambos os casos foi possível ter uma dimensão do poder da página. “Infelizmente o final foi trágico (no caso de Ana Carolina), mas vimos o poder da internet, conseguimos bater um recorde atrás do outro, espero que a doação de sangue tenha ajudado outras pessoas”.

Divulgação de notícias

Além das campanhas de doação de sangue, diversas notícias sobre as cidades da Baixada Santista também são compartilhadas na página. Notícias do DL, como ‘Crime organizado do Rio infiltrado na Região’ também já foram compartilhadas pela página.

Como resultado, a matéria ficou em primeiro lugar como a mais lida do site nos meses de novembro e dezembro do ano passado.

“Basta serem notícias relacionadas à cidade de alguma forma, que nós compartilhamos. É sempre importante informar a população do que está acontecendo”, explica Bruno.

Participando de campanhas de doação de sangue, compartilhando notícias da região e sem deixar a piada de lado, Bruno se diz satisfeito com a aceitação da página e com tudo o que tem acontecido. “Até o momento a aceitação do pessoal está sendo ótima. Esperamos ir crescendo cada vez mais podendo ajudar mais pessoas".

Notícias do DL também já foram publicadas na página (Foto: Reprodução/Facebook)