Empréstimo consignado soma 12,5 bilhões no 1º trimestre

INSS divulgou valores referente ao mês de março, que foi de R$ 3,5 bilhões. Com isso, a soma referente aos três primeiros meses de 2014 bate recorde e atinge R$ 12,5 bilhões

Comentar
Compartilhar
04 MAI 201400h47

Sem aumento real em seus benefícios, os aposentados e pensionistas estão cada vez mais recorrendo aos empréstimos consignados do INSS, que são descontados direto em seus benefícios previdenciários. Com isso, essa modalidade financeira atuingiu R$ 12,5 bilhões em apenas três meses de 2014: R$ 5 bilhões em janeiro; 4 bilhões em fevereiro e 3,5 bilhões em março.

Segundo o INSS, as operações de crédito consignado realizadas por aposentados e pensionistas totalizaram R$ 3,543 bilhões em março de 2014. Em valores nominais – isto é, sem considerar a inflação – o resultado foi 4,04% inferior ao mesmo período de 2013, quando foram liberados R$ 3,692 bilhões.

Em número de operações, março de 2014 registrou1.046.291 contratos – redução de 8,81% se comparado a março de 2013, quando 1.147.337 contratos foram efetivados.

Aposentados e pensionistas continuam se endividando com empréstimos (Foto: Arquivo/DL)

Ao se considerar a margem consignável para empréstimos de até 30% da remuneração líquida dos aposentados e pensionistas, ou de até 10% exclusiva para a modalidade cartão de crédito – na qual os juros costumam ser mais altos –, no primeiro trimestre de 2014, os valores consignados por meio de empréstimo pessoal representaram a quase totalidade das operações de crédito.

Foram mais de 1 milhão de operações em março

Na modalidade de empréstimo, em março foram emprestados R$ 3,530 bilhões em 1.041.504 contratos efetivados. A soma dos recursos foi 4,36% menor que o registrado em igual mês do ano anterior, quando foram contratados R$ 3,691 bilhões.

Em número de operações, também houve queda ao se comparar março de 2014 com o mesmo mês de 2013. Foram realizadas 1.041.504 operações em março de 2014 e 1.146.855 no mesmo mês do ano anterior – diferença de 9,19%.

O valor das operações com cartão de crédito registrou aumento em março de 2014 em relação ao mesmo mês do ano anterior. O total das operações foi de R$ 12,866 milhões, 1139,16% maior que o registrado em março do ano anterior, quando foram realizadas 482 operações, correspondentes a R$ 1,038 milhão. O número de contratos nessa modalidade, que em março de 2014 somou 4.787, foi 893,15% superior.

Em março de 2014, do total de operações de empréstimo pessoal e com cartão de crédito, 585.854 foram efetuados por segurados que recebem até um salário mínimo. Esses aposentados e pensionistas responderam por R$ 1,410 bilhão em operações. Nessa faixa de remuneração, em média, os segurados contrataram, no empréstimo pessoal, R$ 2.412,10.

Na faixa salarial acima de um e até três salários mínimos foi contratado R$ 1,258 bilhão, por meio de 331.791 operações, no valor médio de R$ 3.798,43 para o empréstimo pessoal. Na faixa acima de três salários mínimos foram liberados 128.646 contratos, equivalentes a R$ 874,158 milhões, no valor médio em empréstimos pessoais de R$ 6.803,65.

Do total de empréstimos concedidos em março de 2014 – 1.046.291, correspondentes a R$ 3,543 bilhões –, 921.484 foram parcelados entre 49 e 60 meses.

A maior parte dos segurados que realizou operações de crédito em março estava na faixa etária de 60 a 69 anos. Em seguida, a faixa com mais contratos ficou entre 70 e 79 anos. Das operações realizadas em março de 2014, R$ 1,846 bilhão foi disponibilizado na região Sudeste, por meio de 494.009 contratos.