Droga que combate piolho foi eficaz contra coronavírus, dizem cientistas australianos

Estudos estão em fases iniciais e pesquisadores dizem que não é para as pessoas comprarem a medicação à fim de prevenir ou tratar a covid-19

Comentar
Compartilhar
05 ABR 2020Por Da Reportagem10h19
*Foto meramente ilustrativaFoto: YVES HERMAN/EBC/AB

Não é para as pessoas buscarem as farmácias para comprar o ivermectina. Estudos iniciais in vitro (em laboratório) realizados por cientistas australianos apontaram que a substância - utilizada para combater, dentre outras coisas, piolhos e verminoses - foi muito eficaz para impedir a replicação do coronavírus e, assim, pode dar tempo ao sistema imunológico humano de produzir anticorpos que o combatam de forma mais aguda. Porém, agora, os testes sairão apenas das células infectadas em laboratório e passarão a ser feitos em seres humanos.

O estudo foi conduzido por pesquisadores da Universidade Monash (Austrália) e do laboratório de infecções virais do Hospital Real de Melbourne, e foi publicado no periódico Antiviral Research. Nele os pesquisadores apontaram que, in vitro, a substância ivermectina freou a multiplicação do coronavírus e, assim, ele foi erradicado em cerca de 48 horas após o uso da substância. Agora os cientistas testarão a droga dentro do corpo humano infectado e analisarão como será a resposta, especificamente. 

A ideia é a de que as próximas fases de teste sejam rápidas. E os médicos insistem: por se tratar de uma etapa inicial, não está comprovado, por hora, que a ivermectina vá funcionar completamente. Logo, as pessoas ainda NÃO devem buscar essa medicação para fins de prevenir ou tratar a covid-19.