Banner gripe

Aumenta procura por vacina contra meningite na região

Morte do neto de Lula fez crescer agendamentos da rede particular.

Comentar
Compartilhar
10 MAR 2019Por Caroline Souza11h25
No Brasil, existem três vacinas contra a meningite meningocócica.Foto: Rodrigo Montaldi/DL

A morte de Arthur Araújo Lula da Silva, neto do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, por meningite meningocócica, no dia 1º deste mês, aumentou a procura por vacinas na rede particular da Baixada Santista. No Brasil, existem três vacinas contra a meningite meningocócica. O Sistema Único de Saúde (SUS) oferece apenas a contra a meningite meningocócica C.

As outras vacinas - aplicadas na rede particular - protegem contra a meningite meningocócica A, C, W e Y, e contra a meningite meningocócica B. A primeira, chamada de quadrivalente, inclui o tipo C (aplicado pelo SUS).

Em Santos, o preço da quadrivalente varia entre R$ 280,00 e R$ 300,00 por dose. Já a contra o tipo B tem o custo médio de R$ 550,00 por dose.

"Tivemos um aumento bem significativo desde a noite de sexta-feira (1º)", comenta Letícia Silva dos Santos, enfermeira responsável pelas vacinas na Clínica Previnna. "Os agendamentos para sábado, por exemplo, aumentaram 100%". De acordo com a enfermeira, os pais procuram pelos dois tipos disponíveis na rede particular.

O mesmo aconteceu em outra clínica da Cidade, a Bio Imune Vacinas, conforme conta a enfermeira responsável, Karina Vassilieff. "Ainda não conseguimos quantificar de quanto foi o aumento, mas a procura está muito além do que estamos acostumados desde o dia primeiro". Segundo Karina, a vacina contra a meningite meningocócica B é a mais procurada no local.

CASOS NA REGIÃO

Em 2018, foram confirmados 24 casos de meningite entre residentes de Santos, sendo um deles do tipo meningocócica e os demais do tipo viral (12), bacteriana (quatro), pneumocócica (três), tuberculosa (um), haemophilus (um), outras etiologias (um) e não especificada (um). Este ano, até o momento, houve três casos confirmados de meningite, sendo dois do tipo viral e um de pneumocócica.

A Prefeitura de São Vicente, por meio da Secretaria de Saúde (Sesau), informou que em 2018 foram notificados e confirmados 15 casos de meningite viral e 17 de meningite bacteriana. Já em 2019, até o momento, foram notificados e confirmados um caso de meningite viral e outro de bacteriana.

Praia Grande teve seis casos de meningite em 2018, sendo quatro do tipo viral, uma bacteriana e uma pneumocócica. Todos evoluíram para cura. Em 2019 não há casos confirmados.

O município de Cubatão ainda não registrou casos em 2019. Em 2018, foram 13 casos confirmados, com dois óbitos, ambos de meningite bacteriana por pneumococos. Os demais casos foram e meningite viral (6), bacteriana não especificada (3), meningocócica por Neisseria meningitidis (1) e bacteriana por Streptococcus agalactiae (1).

Bertioga registrou seis casos em 2018, sendo um de meningite tuberculosa e cinco não especificados. Segundo a Prefeitura, ainda não foram registrados casos em 2019.

A cidade de Mongaguá registrou cinco casos no ano passado. Já este ano não há episódios notados.

Itanhaém teve cinco casos confirmados em 2018 e três neste ano. De acordo com a Prefeitura, as ocorrências são de meningite viral e bacteriana.

Em 2018, o município de Peruíbe registrou quatro casos, sendo um de meningite meningocócica e os outros três não especificados.

Em 2019 tivemos apenas 01 caso de meningite meningocócica.

A Prefeitura de Guarujá não respondeu.

FAKE NEWS

A Secretaria de Saúde de Guarujá esclareceu que a informação sobre um suposto surto de meningite na Cidade - que circulou nas redes sociais - não procede.

A assessoria de imprensa do Hospital Santo Amaro, onde o suposto surto estaria acontecendo, também se pronunciou. "Está sendo veiculada uma notícia falsa de casos de meningite em Guarujá, no Hospital Santo Amaro, alarmando irresponsavelmente a população".

Colunas

Contraponto