SABESP AGOSTO DESK TOPO
SABESP AGOSTO MOB

Baixada Santista é reclassificada para a Zona Amarela e poderá reabrir mais comércios

Governador afirma que o Estado de São Paulo está ingressando em 'platô' e pode ser primeiro indício de que pico da doença foi atingido

Comentar
Compartilhar
10 JUL 2020Por LG Rodrigues13h00
As nove cidades caiçaras passam a ter permissão para reabrir outros estabelecimentos comerciaisFoto: Reprodução / Youtube

A Baixada Santista está reclassificada para a Zona Amarela dentro dos parâmetros estabelecidos pelo Plano SP. A notícia foi divulgada logo durante o começo da tarde desta sexta-feira (10) pelas autoridades da esfera estadual durante a 89ª coletiva de imprensa concedida pelo Governo do Estado para divulgar detalhes sobre a atualização de dados referentes à pandemia do novo coronavírus nos 645 municípios de São Paulo.

O avanço das nove cidades caiçaras para a Fase 3, também conhecida como Zona Amarela, já era esperada pelas prefeituras  de Santos, São Vicente, Praia Grande, Guarujá, Cubatão, Bertioga, Itanhaém, Peruíbe e Mongaguá durante a primeira semana de julho. Entretanto, mesmo com a melhora da Baixada no dia 3 em quatro indíces classificatórios na zona verde e apenas um fator na zona amarela, o que já permitiria verificar um avanço positivo da Região em direção a medidas de isolamento social menos rígidas, o Governo do Estado decidiu manter a Baixada na Zona Laranja por pelo menos mais uma semana.

Ao ser questionado se as nove cidades caiçaras poderão vir a figurar como a primeira região do Estado de São Paulo a ingressar na Zona Verde, uma vez que a Baixada teve quatro fatores já na Fase 4 durante a primeira semana de julho, o secretário de desenvolvimento regional Marco Vinholi pediu calma.

"Sobre a Baixada Santista eu quero, primeiro, cumprimentar os gestores da Região, aqueles que tiveram responsabilidade no período, até o prefeito Paulo Alexandre, de Santos, e o prefeito Marco Aurélio, de Itanhaém, e a população que pode trazer estes resultados importantes hoje, levando a Baixada Santista para fase amarela, mas vamos com cautela, um passo de cada vez e responsabilidade, essa mesma responsabilidade que foi empregada durante este período, então hoje a Baixada passa para a fase amarela por conta destes bons indicadores e vamos seguir pedindo a responsabilidade da população e de todos para a gente poder avançar sempre com o Plano SP resguardando a vida da população", afirmou.

Vale lembrar que dos quatro indicadores da Baixada que estavam na Zona Verde: Ocupação de leitos de UTI para Covid-19; leitos de Covid-19 disponíveis para cada 100 mil habitantes; variação de casos e variação de óbitos, apenas as duas primeiras seguem na verde e as restantes voltaram a possuir números que as encaixam na Zona Amarela.

As medidas passarão a valer a partir da próxima segunda-feira (13). Apesar do portal da saúde do Plano SP, por algum motivo desconhecido, ter omitido nesta sexta-feira as páginas que descreviam a abertura dos setores da economia de acordo com as fases, as informações divulgadas até esta quinta-feira (9) afirmavam que, os municípios que estavam na Zona Laranja e passaram para a Zona Amarela recebem permissão para que os shopping centers e galerias de lojas tenham a capacidade de pessoas aumentada de 20% para 40% e o horário reduzido passe de quatro para seis horas. As praças de alimentação ao ar livre também poderão ser reabertas. O comércio em geral passa a seguir as mesmas recomendações, assim como o setor de serviços.

A maior mudança ocorrerá devido à liberação da reabertura de bares, restaurantes e estabelecimentos similares desde que o local fique ao ar livre e a capacidade de ocupação fique sempre em 40% e por, no máximo, seis horas seguidas, além de adotar protocolos padrões e setoriais específicos. O mesmo passa a valer para salões de beleza, que poderão ser reabertos também com ocupação limitada a 40% do pessoal e seis horas seguidas de trabalho ao máximo.

A reclassificação para a Zona Amarela também poderá auxiliar o Santos Futebol Clube, que se prepara para retomar as partidas do Campeonato Paulista no próximo dia 22 de julho, contra o Santo André. Com a Baixada ocupando a Fase 3, a Vila Belmiro poderia estar sendo liberada para uso dos atletas de ambas as equipes já no retorno do Paulistão. Esta decisão, entretanto, ainda precisa ser oficializada pela Federação Paulista de Futebol (FPF).