Vereador questiona segurança de prédios

Banha vai pedir informações para a Prefeitura sobre as condições de imóveis.

Comentar
Compartilhar
31 JAN 201310h23

O vereador Antônio Carlos Banha Joaquim (PMDB) só está esperando acabar o recesso da Câmara Municipal para obter informações da Prefeitura de Santos sobre quais imóveis utilizados pelo Município, alugados ou próprios, possuem auto de vistoria do Corpo de Bombeiros (AVBC). O parlamentar afirma que muitas escolas, creches, unidades básicas de saúde (UBSs) e até mesmo o Paço não têm o documento.

Na volta do recesso, Banha pretende apresentar um requerimento pedindo informações detalhadas sobre imóveis utilizados para serviços do Município. Os dados que o parlamentar quer ter acesso são referentes à quantidade de próprios públicos, quando foram realizadas as últimas vistorias de segurança nos locais, incluindo, principalmente, o AVCB.

“Até pouco tempo atrás, o próprio Teatro Coliseu, que recebe centenas de pessoas por noite, não tinha (AVBC). Depois da reforma é que o Corpo de Bombeiros vistoriou o teatro”, conta Banha.

Ele ainda relembra o tempo em que as sessões da Câmara aconteciam na Sala Princesa Isabel, no Paço Municipal, há pouco mais de um ano. Banha afirma que, na época, a própria sede da Prefeitura de Santos não contava com o AVBC. “Quando começaram as obras de revitalização, nós (vereadores) levantamos a questão ao Corpo de Bombeiros para eles traçarem uma rota de fuga, em caso de emergência. O Paço nunca teve auto de vistoria”, ressalta o vereador, que ainda diz que a situação é a mesma em escolas e creches municipais e em unidades básicas de saúde.

Paço Municipal - Vereador Banha afirma que prédio da Prefeitura não tem AVBC (Matheus Tagé/ DL)

Ao contrário da denúncia do vereador, o tenente do Corpo de Bombeiros, Rubens Rodrigues, afirma que, em Santos, a Prefeitura sempre se preocupou com a segurança da população que frequenta os próprios públicos. “Eu mesmo já fiz vistorias em escolas e creches do Município”, conta.

Rodrigues diz que podem existir casos em que o alvará de algumas instituições esteja vencido, “mas é questão de tempo para que a Prefeitura procure o Corpo de Bombeiros para uma nova vistoria com o objetivo de renovar o documento”, ressalta.

Prefeitura

Em nota, a Prefeitura de Santos diz que desde o dia 2 de janeiro, uma comissão técnica, composta por técnicos e engenheiros, está levantando as informações das cerca de 300 unidades próprias ou alugadas para avaliar as condições físicas e estruturais, custo de locação, número de servidores e a documentação pertinente, incluindo o AVCB.

O levantamento completo, com as soluções propostas para cada uma das necessidades, será apresentado no dia 10 de abril, quando o Governo completa 100 dias.