X
Política

Temer diz que país vive momento reformista

O presidente Temer reafirmou que a reforma da Previdência cortará privilégios e beneficiará os mais pobres

O presidente Michel Temer disse hoje (12) na cerimônia de posse da diretoria da Confederação Nacional da Agricultura (CNA) que o Brasil vive um “momento reformista” e citou a reforma da Previdência, defendendo a necessidade de aprová-la. A reforma aguarda votação no plenário da Câmara dos Deputados e o governo trabalha para votar o texto ainda esse ano.

“Temos que ter consciência absoluta de que esse é o grande momento para o Brasil, especialmente é um momento reformista. Precisamos reformar, como estamos reformando muitas questões no nosso país. Quando vamos pensando nas reformas, sabemos que não podemos parar”.

O presidente Temer reafirmou que a reforma da Previdência cortará privilégios e beneficiará os mais pobres, além de estados e municípios que estão em “dificuldade extrema”. De acordo com Temer, os parlamentares que votarem contra a reforma votarão a favor dos privilegiados.

Segundo Temer, a reforma vai representar uma economia de R$ 500 bilhões ao Estado nos próximos anos. “Vem a pergunta, mas o que ganha o Estado brasileiro? O Estado tem uma economia nesses próximos 10 anos de R$ 500 bilhões”, disse o presidente.

Temer citou reformas aprovadas como a do ensino médio e a trabalhista. Lembrou também a aprovação do teto para os gastos públicos, que também enfrentou resistência inicial no Congresso Nacional. Em relação à reforma trabalhista, o presidente disse que as mudanças resultam em geração de empregos no país.

“Algo que pensou-se há muito tempo, e que ninguém teve coragem de levar adiante. Quando promovemos, com o apoio do Congresso Nacional, a modernização trabalhista, nós o fizemos na convicção de que vai em favor do empresário, mas especialmente em favor do empregado”, disse.

Agronegócio

Sobre o agronegócio, Temer disse o setor é um dos sustentáculos da economia nacional. “Muitas vezes dizem que eu protejo os ruralistas, pelo contrário, são eles que protegem a economia nacional. E não temos que ter medo de dizer isso, os dados ai estão. Os dados da economia nacional, do governo e todos eles ancorados no fenômeno da agricultura”.

João Martins da Silva Júnior foi reconduzido ao comando da CNA para o período de 2018 a 2021. Martins está na presidência da CNA desde 2015. Também tomaram posse hoje seis novos vice-presidentes e seis integrantes do Conselho Fiscal, sendo três titulares e três suplentes.

Deixe a sua opinião

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Praia Grande

Golfinho é encontrado morto na orla de Praia Grande

Mamífero foi encontrado em avançado estado de decomposição por um pescador, que acionou as autoridades

Polícia

Câmera registra 1º caso de PMs de SP matando suspeito desarmado

Existem ainda outros dois casos semelhantes em andamento sendo analisados, mas ainda sem conclusão

©2021 Diário do Litoral. Todos os Direitos Reservados.

Software