“Querem assumir a Prefeitura na base do golpe”, diz Farid

Prefeito reassume Administração Municipal e Tucunduva não aparece

Comentar
Compartilhar
24 FEV 201320h05

Música, fogos de artifício, secretários e uma multidão de servidores municipais que aguardaram a chegada do prefeito Farid Said Madi, durante duas horas, na manhã de ontem, na entrada do Paço Municipal. O prefeito chegou às 10h05 no prédio da Prefeitura para reassumir a Administração Municipal, carregado por funcionários e ovacionado pelas pessoas que exibiam fotos e cartazes. Na última quarta-feira, a posse do cargo de prefeito foi dada ao vice, José Rodrigues Tucunduva Neto, pela 3a Vara Cível de Guarujá, em atendimento à ação de antecipação de tutela impetrada por ele.

Farid declarou em entrevista coletiva que fará um levantamento do que ocorreu nos últimos dias no Paço “para que as coisas voltem a normalidade”. O prefeito, que estava em viagem oficial aos portos europeus, disse que não tinha conhecimento total do que havia ocorrido durante a posse de Tucunduva. “Sei que entrou aqui uma série de pessoas estranhas, algumas conhecidas outras não que invadiram a Prefeitura. Me parece que alguns processos foram retirados da Prefeitura, sem autorização. Vou apurar tudo para tomar as providências cabíveis”, ressaltou Farid.

Questionado sobre a série de medidas apresentadas por Tucunduva, Farid afirmou que “não tem medida, o que ele fez foi politicagem. Estamos aqui há três anos e sabemos que não podemos tomar nenhuma medida sem fazer estudos muito profundos”. Entre as medidas estava a criação de uma comissão para revogar o Sistema Integrado de Transportes (SIT) e o aumento da tarifa de ônibus e o fim da intervenção municipal no Hospital Santo Amaro.

Embora seu discurso tivesse um tom de cordialidade para com o vice, Farid estava visivelmente aborrecido com a posse do cargo tomada na Justiça. “O que aconteceu aqui foi absurdo. Nós estávamos em cinco prefeitos (em viagem oficial à Europa), nenhum prefeito deu posse ao seu vice porque a lei diz que não é necessário. O meu conceito do Tucunduva é bom, ele foi escolhido por mim para ser meu vice só que hoje ele está muito mal acompanhado”, declarou Farid.

Farid destacou ainda que o armário do seu gabinete foi arrombado durante sua ausência. “Então não posso deixar de manifestar meu descontentamento. Eu só lamento porque eu estava num evento oficial, onde havia outros prefeitos”. Farid afirmou que por causa desse conflito no Município, perdeu a oportunidade de firmar uma parceria milionária com uma empresa de Cruzeiros Marítimos, em Barcelona. Hoje eu tinha um encontro com representantes da MSC, de Transportes Marítimos de Passageiros, onde iríamos discutir a possibilidade de investimentos em Guarujá. A empresa quer instalar um Terminal de Passageiros no Guarujá.

Eu fui procurado por esse grupo, mas infelizmente não sei como esse episódio repercutiu e tenho certeza que o Guarujá perdeu com isso mais uma vez. Por conta de um grupo que quer entrar na Prefeitura de qualquer jeito”. Farid salientou que as ocorrências no Paço serão apuradas e caso seja necessário acionará judicialmente o vice-prefeito. “Se houve algum prejuízo para a municipalidade não tenha dúvida que vou entrar na Justiça”, enfatizou. “A grande verdade é que querem assumir a Prefeitura na base do golpe. Antes a nossa relação (com Tucunduva) era boa”, afirmou Farid.

Manifestação

Apesar do volume de funcionário públicos municipais que se aglomeraram na frente do Paço, inclusive com crachás de identificação e, alguns, com uniformes do Programa de Saúde da Família, o prefeito garantiu que nenhum serviço foi paralisado na manhã de ontem. “Isso é uma manifestação espontânea que as pessoas têm o direito de exercer. Diante dessa pouca vergonha que aconteceu aqui, eu acho que essas pessoas não se contiveram porque repudiaram o que aconteceu”.

PAC

Farid anunciou ainda que, na segunda-feira, assinará convênio com a Caixa Econômica Federal, em Santos, para a liberação de R$ 62 milhões, do Programa de Aceleração do Crescimento do Governo Federal (PAC). Segundo o prefeito, os recursos serão investidos no projeto Favela Porto-Cidade que consiste na construção de unidades para famílias residentes no Sítio Conceiçãozinha e Prainha. Serão construídas 1.800 moradias no Parque da Montanha, na primeira fase. Os recursos também serão investidos na expansão da área portuária e na regularização fundiária. 

Addis

A primeira medida prática de Farid foi assinar, pela manhã, a portaria de nomeação do secretário de Administração e Gestão de Pessoas, Antônio Addis Filho, exonerado pelo prefeito em exercício, José Tuncuduva Neto. “Fico contente por ainda ser um homem de confiança do prefeito Farid”, disse Addis.