PSDB visa manter dez cadeiras dentro do Legislativo santista

Eleições 2016. Presidente do partido, Juan Manuel Villarnobo Filho, o Mandy, comenta expectativa para o pleito

Comentar
Compartilhar
22 MAI 2016Por Diário do Litoral10h30
PSDB visa manter dez cadeiras dentro do Legislativo santistaPSDB visa manter dez cadeiras dentro do Legislativo santistaFoto: Matheus Tagé/DL

O PSDB entrará nas eleições municipais com o foco em manter as dez cadeiras que possui hoje na Câmara de Santos.

Essa expectativa é confirmada pelo presidente da legenda na cidade, Juan Manuel Villarnobo Filho, o Mandy.
“O momento político é muito difícil de você fazer previsão. Na realidade, a gente não sabe, com essa situação toda e essa crise política, como é que o povo vai estar em outubro. Me parece que essa eleição é uma das mais difíceis em matéria de previsão. No entanto, estamos nos preparando, ainda que possa parecer ousado, para manter as dez cadeiras que temos hoje. Na última eleição fizemos seis, e agora nós temos dez cadeiras com a vinda de alguns vereadores. Vamos fazer todo esforço para manter”.

Neste ano aderiram ao partido Jorge Vieira da Silva Filho, Carabina (ex-PR), Manoel Constantino (ex-PMDB), Roberto Teixeira (ex-PMDB) e Kenny Mendes (ex-DEM).

Segundo Mandy, as últimas adesões ao partido foram no intuito de substituir os “votos perdidos” com saídas de outros políticos, como o vereador Hugo Duppre, hoje no PSD.

“Política é a arte da conversa. Ao longo do tempo, não só nós procuramos alguns vereadores em função até da própria conjuntura, como fomos procurados por vereadores. Tivemos algumas saídas de candidatos importantes e tentamos substituir exatamente com vereadores porque você substituir com candidatos novos, evidentemente que eles ficariam receosos de entrar num partido que mantinha alguns candidatos já acostumados com eleição, já vereadores”.

O presidente do PSDB santista negou que a estratégia do partido seja similar a utilizada pelo ex-prefeito Beto Mansur, quando estava no PPB. À época, Mansur montou uma chapa com diversos palarmantares e nomes fortes da política santista, sendo apelidada de “jumbão do Beto”.

Essa chapa aconteceu de forma natural através de conversas. Não houve, em nenhum momento, a predisposição do partido de montar uma chapa tão forte. Houve o entendimento recíproco, tanto do partido como dos vereadores, na formação dessa chapa. Não houve nenhuma intenção premeditada. Aconteceu”.

Confiante, Mandy crê que os tucanos conseguirão atingir mais votos que em 2012.

“Nós temos uma quantidade boa de candidatos com potencial de votos, mas a quantidade hoje de vereadores faz com que todos julguem que está muito forte. Eu acho que nós vamos ter mais votos do que tivemos na outra eleição”.