PF cumpre mandados de busca e apreensão em endereços do ex-governador José Serra

Operação Lava Jato denunciou o senador por lavagem de dinheiro; PF cumpre oito mandados em São Paulo e Rio de Janeiro

Comentar
Compartilhar
03 JUL 2020Por Da Reportagem12h00

A Polícia Federal cumpre nesta sexta-feira 8 mandados de busca e apreensão contra o senador e ex-governador de São Paulo José Serra (PSDB) por lavagem de dinheiro. A denúncia foi feira pela força-tarefa da Operação Lava Jato em São Paulo.

Até o momento, o senador e a assessoria de imprensa não se pronunciaram. De acordo com a assessoria, a defesa do ex-governador não teve acessos aos conteúdos, e haverá um pronunciamento após o conhecimento do processo.

Além de José Serra, a filha dele, Verônica Serra, foi denunciada duas vezes por lavagem de dinheiro.

A denúncia acredita que a Odebrecht pagou cerca de R$ 4,5 milhões entre 2006 e 2007 ao ex-governador, supostamente para usar em suas campanhas ao governo do estado de São Paulo. De acordo com a denúncia, em 2009 e 2010 ele recebeu cerca de R$ 23 milhões (atualizados em R$ 191,5 milhões) para a liberação de créditos com a Dersa, estatal que foi extinta em 2019.

A denúncia também aponta que Serra solicitou o pagamento de R$ 4,5 milhões ao executivo da Brasken, Pedro Novis. No entanto, ele pediu para receber o valor no exterior, através da offshore Circle Techncal Company, indicada pelo empresário José Pinto Ramos.

Sobre a filha do senador, a operação aponta que ela e Ramos construíram empresas no exterior para receberem os pagamentos que a Odebrecht destinou ao senador. As empresas ocultavam os nomes dos donos. A investigação cita Ramos como o responsável pelas transferências, mas ele não foi denunciado pelo MPF.

Os mandados estão sendo cumpridos em São Paulo e Rio de Janeiro. Além de residências de José Serra, a Polícia Federal cumpriu um mandado de busca e apreensão na zona sul de São Paulo. O endereço é do empresário Ronaldo Cesar Coelho, que foi tesoureiro do PSDB.