Em comício no Rio de Janeiro, Alckmin desconversa sobre maioridade penal

Moradores apelaram a ele que, se eleito, tomasse medidas "com urgência" para diminuir a violência na região

Comentar
Compartilhar
30 AGO 2018Por Folhapress15h39
Ao final do comício, Alckmin se declarou o "candidato da Baixada Fluminense e de Duque de Caxias"Ao final do comício, Alckmin se declarou o "candidato da Baixada Fluminense e de Duque de Caxias"Foto: Agência Brasil

O candidato à Presidência Geraldo Alckmin (PSDB) desconversou ao ouvir os apelos de uma moradora de Duque de Caxias (RJ), onde esteve na manhã desta quinta (30). Ela pediu que o candidato reduzisse a maioridade penal. Sem entrar no assunto, o presidenciável respondeu apenas "entendo", e seguiu caminho.

Alckmin quer marcar posição em relação ao seu adversário Jair Bolsonaro (PSL), à sua frente nas pesquisas de intenção de voto. Em campanha publicitária divulgada nesta manhã, Alckmin mira Bolsonaro ao defender que "não é na bala que se resolve" os problemas do país.

Durante caminhada pelo centro comercial de Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, o candidato foi abordado por transeuntes e cumprimentou lojistas. Moradores apelaram a ele que, se eleito, tomasse medidas "com urgência" para diminuir a violência na região.

Alckmin afirmou ainda que a proposta de zerar o déficit público em dois anos não será feita com aumento de impostos, mas com a retomada do crescimento da economia e redução de despesas que, segundo o tucano, terão apoio do Centrão.

Acompanhado da candidata ao Senado, Aspásia Camargo (PSDB), Alckmin parou em um quiosque para um café, mas ouviu da vendedora que o produto havia acabado. Então, seguiu para mais duas lanchonetes. 
Ao final do comício, que durou cerca de uma hora, Alckmin se declarou o "candidato da Baixada Fluminense e de Duque de Caxias" em breve discurso antes de seguir para o aeroporto.