É muito grave presidentes do Senado e Câmara na lista, diz cientista

José Álvaro Moisés disse também que é preciso ver primeiro se as acusações irão ou não se confirmar

Comentar
Compartilhar
07 MAR 201501h37

O cientista político e professor da USP José Álvaro Moisés considerou muito grave o fato de os presidentes das duas maiores casas legislativas do País, o Senado e a Câmara, respectivamente Renan Calheiros (PMDB-AL) e Eduardo Cunha (PMDB-RJ) estarem na lista de políticos que serão investigados no âmbito da Operação Lava Jato, que apura esquema de corrupção na Petrobras.

Em entrevista, o cientista político disse que é preciso ver primeiro se as acusações irão ou não se confirmar, mas o fato de os nomes constarem da lista é grave. José Moisés lembrou da CPI dos Anões, que acabou provocando a cassação do mandato do então presidente da Câmara dos Deputados Ibsen Pinheiro, filiado ao PMDB do Rio Grande do Sul. "Só que a situação hoje é mais grave", disse, citando as crises econômica e política.

Na sua avaliação, a gravidade do momento ocorre também porque o próprio governo federal não consegue administrar essas crises. E disse que essa crise tem que resultar na elaboração de uma reforma política.

Renan Calheiros está na lista de investigados da Lava Jato (Foto: Agência Brasil)