SABESP AGOSTO DESK TOPO
SABESP AGOSTO MOB

Cortes no orçamento de 2015 serão negociados com cada ministério

Um grupo de trabalho com representantes dos ministérios do Planejamento, da Fazenda, Casa Civil e Controladoria-Geral da União levantará as prioridades de cada órgão

Comentar
Compartilhar
03 FEV 201521h28

Os cortes no orçamento federal não serão lineares e serão negociados com cada órgão, disse hoje (3) o secretário-executivo do Ministério do Planejamento, Dyogo Oliveira.

Um grupo de trabalho com representantes dos ministérios do Planejamento, da Fazenda, Casa Civil e Controladoria-Geral da União levantará as prioridades de cada órgão federal antes de discutir o contingenciamento (bloqueio) de verbas.

Segundo Oliveira, as informações apuradas pelo grupo de trabalho servirão de base para o decreto de programação financeira a ser editado após a aprovação do Orçamento de 2015 pelo Congresso Nacional. Ele destacou que as ações e os programas prioritários do governo serão avaliados de perto e assegurou que os cortes de verba não serão lineares – iguais para todos os órgãos federais.

De acordo com o secretário, o grupo de trabalho fará uma discussão detalhada e qualificada do orçamento e pactuar, com cada ministério, onde é possível reduzir gastos e aumentar a eficiência dos programas do governo.

Conforme Oliveira, os primeiros resultados do grupo interministerial serão apresentados em até 90 dias. O Ministério do Planejamento assegurou que os programas sociais prioritários do governo federal não sofrerão cortes.

Criado por decreto publicado no último dia 29 no Diário Oficial da União, o grupo de trabalho tem por objetivo melhorar a execução orçamentária e financeira do governo, contribuindo para o alcance da meta de superávit primário – economia para pagar os juros da dívida pública – de 1,2% do Produto Interno Bruto (PIB, soma das riquezas produzidas no país).

O grupo também pretende melhorar a eficiência do gasto público e aperfeiçoar programas de gestão e políticas públicas.

Além de definir os cortes do Orçamento de 2015, ainda não aprovado pelo Congresso Nacional, o grupo de trabalho contribuirá para elaborar o projeto de lei do Orçamento de 2016. Os representantes também ajudarão na elaboração do Plano Plurianual (PPA) que vigorará entre 2016 e 2019.