Albuquerque: Comparar Marina a Jânio é conduta lacerdista

Ao deixar a Câmara dos Deputados, ele disse que a presidente Dilma Rousseff e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva estão promovendo um "prenúncio do terrorismo"

Comentar
Compartilhar
02 SET 201421h20

O candidato a vice-presidente pelo PSB, Beto Albuquerque, reagiu nesta terça-feira ao programa eleitoral do PT que sugere que a ex-ministra Marina Silva não teria condições de compor com o Congresso e a compara aos ex-presidentes Jânio Quadros e Fernando Collor.

Ao deixar a Câmara dos Deputados na noite de hoje, Albuquerque disse que a presidente Dilma Rousseff e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva estão promovendo um "prenúncio do terrorismo" e disse que a ação petista é uma "conduta lacerdista". "Compreendo que o PT não queira perder o aparelho e que o PSDB queira ir para o segundo turno. Mas para isso é preciso mais do que adotar o discurso do (Carlos) Lacerda" - jornalista porta-voz da oposição ao segundo governo Getúlio Vargas, na década de 50, e de João Goulart.

O programa de TV de Dilma veiculado hoje afirma que Marina conta com uma base de apoio de 33 deputados, número insuficiente para aprovar propostas legislativas. O narrador coloca em dúvida em seguida se a ex-ministra "teria jeito para negociar" e diz que o Brasil já elegeu "salvadores da pátria, chefes do partido do eu sozinho". "E a gente sabe como isso acabou", conclui o narrador, referindo-se à renúncia de Jânio Quadros e ao processo de impeachment aberto contra Collor. Albuquerque, que também é líder do PSB na Câmara, disse ainda que o discurso do medo foi usado contra o próprio ex-presidente Lula em 2002, quando adversários diziam que eleição do petista traria instabilidade econômica ao País. "Ele já se esqueceu disso."

Beto Albuquerque reagiu ao programa eleitoral do PT  (Foto: Divulgação/PSB)

'Lula de saias'

Albuquerque foi questionada ainda sobre as críticas do líder do PT no Senado, Humberto Costa, que afirmou hoje que o receituário econômico defendido por Marina faz dela "o Fernando Henrique Cardoso de saias". Em resposta, Albuquerque diz preferir a frase atribuída recentemente ao ex-ministro José Dirceu, preso pelo processo do mensalão e que teria dito que Marina é "o Lula de saias". "Não tem nada disso. O PT foi o primeiro a trazer um banqueiro ao Banco Central e fez muito bem", disse.

Ele defendeu o programa de responsabilidade fiscal proposto pelo PSB e afirmou que o senador petista se esqueceu da Carta ao Povo Brasileiro, documento divulgado pelo ex-presidente Lula em 2002 no qual ele se comprometeu a honrar contratos e com o combate à inflação.