Na Régis Bittencourt, bandidos atacam no trecho de pista simples

Os alvos já não são apenas os caminhoneiros que transportam cargas de valor.

Comentar
Compartilhar
27 DEZ 201223h44

Motoristas e usuários enfrentam um risco adicional na Rodovia Régis Bittencourt (BR-116), que liga São Paulo a Curitiba, em um período em que o aumento no tráfego resulta em mais congestionamentos. Ladrões estão se aproveitando do trânsito parado para assaltar os viajantes.

Os alvos já não são apenas os caminhoneiros que transportam cargas de valor. Turistas paulistanos que seguiam para Curitiba no sábado foram atacados e roubados na altura do km 340, entre Juquitiba e Miracatu. Os bandidos levaram celulares e dinheiro dos ocupantes de dois veículos e se embrenharam em uma trilha às margens da pista.

A ocorrência não foi registrada nas delegacias de Juquitiba e Miracatu - muitas vezes, os viajantes optam por seguir viagem. Mas de acordo com a polícia, essas ocorrências são constantes. Apenas no trecho em que a BR-116 corta o município são registrados em média dois casos por semana.

Um escrivão de Miracatu relata que, anteriormente, apenas motoristas de caminhões eram alvo dos ladrões - os bandidos usam pés-de-cabra para arrombar a carroceria e fogem levando o que podem. De uns tempos para cá, porém, os ladrões passaram a atacar automóveis, em busca de celulares, notebooks e tablets. Ameaçados ou intimidados, os motoristas não reagem. Segundo ele, uma quadrilha foi presa em novembro, mas dias depois estava "na rua".

Já em Juquitiba, a Polícia Civil realizou uma operação no início de dezembro para desmantelar uma quadrilha de receptadores de cargas e objetos roubados na rodovia. Cinco suspeitos foram detidos no Distrito dos Barnabés. A localidade, cortada pela estrada, fica no início da Serra do Cafezal e é considerada um ponto crítico pelos motoristas. A serra tem um trecho em pista simples e o gargalo causa longos congestionamentos.

Empresa

A concessionária Autopista Régis Bittencourt informou que não tem poder de polícia, mas quando recebe informações sobre assaltos aciona a Polícia Rodoviária Federal.