Polícia francesa recolhe vídeos do hotel em que estava acusadora de Neymar

Najila foi à capital francesa a convite de Neymar e afirma ter sido estuprada pelo atacante da seleção brasileira na noite de 15 de maio no hotel próximo ao Arco do Triunfo na região central da cidade.

Comentar
Compartilhar
20 JUN 2019Por Folhapress22h09

A polícia francesa recolheu as imagens das câmeras de segurança do hotel em que estava hospedada a modelo Najila Trindade, que acusa Neymar de agressão e estupro. A informação foi divulgada nesta quinta (20) pelo jornal L'Equipe.

As imagens podem ser disponibilizadas para a polícia brasileira que realiza a investigação do caso. A captura dos vídeos foi feita pelo 1º Distrito de Polícia Judicial de Paris. 

Najila foi à capital francesa a convite de Neymar e afirma ter sido estuprada pelo atacante da seleção brasileira na noite de 15 de maio no hotel próximo ao Arco do Triunfo na região central da cidade.

O atacante prestou depoimento na Delegacia da Defesa da Mulher, em São Paulo, no último dia 13. 

"Agradeço o carinho de todos, estou tranquilo e agradeço as mensagens que recebi até agora. A verdade aparece cedo ou tarde", disse o atleta na saída da delegacia.

Segundo a Rede Globo, ele teria dito aos advogados que o sexo foi consensual durante em todo momento, que usou camisinha e que a mulher teria pedido para receber tapas na bunda, posou para fotos sensuais, que ainda teria postado nas redes sociais, o que provaria não ser um caso de agressão.

Ainda segundo a emissora, o jogador teria afirmado que jogou o preservativo no vaso sanitário e que sua intenção no segundo encontro era levar a mulher para uma balada, o que não aconteceu por conta da briga.

Najila registrou boletim de ocorrência no dia 31 de maio, na delegacia em Santo Amaro. Em entrevista ao SBT no dia 5 de junho, ela afirmou que viajou para Paris para fazer sexo com o jogador. De acordo com ela, porém, Neymar teria praticado a força o ato e sem o uso de preservativo. No seu depoimento na DDM, no dia 7, ela confirmou essa versão.

Para o canal de televisão, ela disse ter um vídeo de sete minutos da noite em que teria acontecido o crime. Mas as imagens estariam em um tablet que foi roubado. Najila afirmou que a "polícia é comprada". Por causa disso, a Polícia Civil registrou um Boletim de Ocorrência por difamação contra a modelo.

Colunas

Contraponto