GOVERNO 3

No Brasileiro, Veríssimo se torna tão intocável quanto Pituca no Santos

Desde o início do torneio nacional, o zagueiro ficou fora de apenas dois jogos, mesmo número do volante no período

Comentar
Compartilhar
03 OUT 2019Por Folhapress22h00
Neste sábado (5), quando o Santos enfrenta o Vasco, Veríssimo não poderá atuar devido a mais uma suspensãoFoto: Divulgação/Santos FC

O Santos de Jorge Sampaoli vai, aos poucos, escancarando seus titulares absolutos mesmo diante de tamanha variação tática e de nomes. Desde o início do ano, Diego Pituca já tem essa condição, mas durante o Campeonato Brasileiro outro atleta se tornou tão fundamental quanto o volante: o zagueiro Lucas Veríssimo.

Desde o início do torneio nacional, Veríssimo ficou fora de apenas dois jogos, mesmo número de Pituca no período. Ambos só saíram do time por obrigação: para cumprir suspensão automática. Neste sábado (5), quando o Santos enfrenta o Vasco, Veríssimo não poderá atuar devido a mais uma suspensão.

Os dois têm algo em comum que talvez seja o segredo para cair nas graças de Sampaoli: a versatilidade. Ambos podem atuar em várias funções dentro do seu setor e se encaixam em diversos papéis táticos pedidos pelo argentino.

Pituca já atuou como primeiro e segundo volante, como meia ofensivo e até chegou a ser lateral-esquerdo. Veríssimo pode fazer a função de zagueiro tanto em linha de quatro quanto em linha de três, quando joga pela direita e pode até ajudar no ataque, como costuma fazer quando é escalado efetivamente como uma espécie de lateral-direito, com linha de quatro atrás.

O defensor começou o ano ainda se recuperando de lesão e só foi estrear quase no final da primeira fase do Campeonato Paulista. E que estreia: 4 a 0 para o Botafogo-SP e cartão vermelho no último minuto.

Veríssimo, neste momento, parecia muito atrás de Gustavo Henrique e Aguilar na preferência de Sampaoli, mas foi seguro na Copa do Brasil, quando voltou a ser titular contra o Atlético-GO e, na estreia no Brasileiro, formou trio de zaga com os dois habituais titulares. Aos poucos, recuperou seu espaço.

Foram dez jogos em sequência desde aquela partida diante do Grêmio, em Porto Alegre, até a primeira suspensão. Agora, Veríssimo bateu novamente a marca das dez partidas seguidas e novamente cumprirá suspensão. No entanto, quando retornar, sua vaga nos 11 que começam os jogos nunca esteve tão assegurada.

Colunas

Contraponto