Corinthians empata mais uma e vê folga na liderança diminuir

Alvinegro fica seis pontos na frente do Grêmio após empate por 0 a 0 com o Avaí, fora de casa

Comentar
Compartilhar
19 JUL 2017Por Estadão Conteúdo23h09
Jô passou em branco na RessacadaJô passou em branco na RessacadaFoto: Cristiano Andujar/Agif

O técnico Renato Gaúcho, do Grêmio, afirmou que o Corinthians iria despencar na tabela do Campeonato Brasileiro. Poucos dias depois, corrigiu, dizendo que queria usar o termo tropeçar. E não é que o treinador estava correto. A equipe de Fábio Carille amargou o segundo empate consecutivo na competição, desta vez contra o Avaí, nesta quarta-feira, na Ressacada, e, em uma rodada em que ambos atuaram fora de casa, o clube gaúcho bateu o Vitória e diminuiu para seis pontos a distância para o líder.  

O Corinthians agora soma 37 pontos contra 31 dos gaúchos. Na próxima rodada, os rivais vão atuar novamente fora de casa. A equipe alvinegra enfrenta o Fluminense, no domingo, no Maracanã, e o Grêmio encara o São Paulo, no Morumbi, na segunda-feira.

O time de Carille entrou em campo já sabendo que o Grêmio estava vencendo o Vitória com facilidade, mas, nas palavras do técnico corintiano, não tinha de se preocupar com isso. A afirmação se refletiu em campo. A equipe atuava da maneira costumeira, sem se afobar, buscando os espaços na linha de marcação adversária. No pivô, Jô se mostrava uma boa opção, servindo os companheiros. Arana e Maycon tiveram chance de marcar. 

A tranquilidade corintiano foi abalada momentaneamente. Antes dos 15 minutos, Carille perdeu dois jogadores por contusão. Pablo sentiu novamente o problema muscular na coxa direita que o tirou do empate com o Atlético-PR e foi substituído por Pedro Henrique. Jadson levou uma pancada do lado direito do corpo, na região das costelas, em disputa com Betão, dando lugar a Marquinhos Gabriel.  

Após alguns minutos para ajustar o posicionamento em campo, o Corinthians retomou o domínio da partida. O desenho tático era nítido. O time de Carille ficava de posse da bola e o de Claudinei Oliveira se fechava, especulando apenas no contra-ataque. Até pela forte marcação, não existia facilidade para criar. A movimentação de Jô era o diferencial. O atacante acertou um chute perigoso quase no final do primeiro tempo.

O cenário continuou inalterado na etapa final. O Avaí aguardava a iniciativa do Corinthians para então contra-atacar. E, com esta postura, quase abriu o placar aos 10 minutos, em uma chance incrível perdida por Simião. Leandro Silva chutou para o meio da área e o volante desviou do jeito que deu. A bola lambeu o travessão.

O Corinthians fazia o jogo da paciência. Situação até atípica para o time de Carille, que costuma se postar bem defensivamente e aproveitar os erros do adversário para marcar os gols e vencer. Não que o líder nunca tome iniciativa, mas não é o que normalmente acontece.

Uma mudança do técnico Claudinei Oliveira concedeu ao Corinthians o caminho para chegar ao ataque com mais facilidade. Sem Juan para ajudar na proteção do lado esquerdo da defesa, Fagner passou a levar a melhor sobre Capa e, em dois cruzamentos, serviu Rodriguinho e Jô, que quase marcaram.

O Avaí não deixava de ser perigoso na proposta de atuar no contra-ataque. Em um deles, Pedro Castro aproveitou desatenção da defesa e enfiou bola para Joel na área. O camaronês finalizou e só parou na trave, com Cássio já batido.  

A trave e o travessão também salvaram o Avaí em duas oportunidades nos minutos finais. Após cruzamento de Arana da esquerda, aos 41, Betão tentou cortar e jogou no travessão. Aos 43, Rodriguinho acertou belo chute que resvalou na trave de Douglas. O goleiro ainda salvou uma última bola, em cabeçada de Pedro Henrique.

FICHA TÉCNICA

AVAÍ 0 X 0 CORINTHIANS

AVAÍ: Douglas; Leandro Silva, Fagner Alemão, Betão e Capa; Judson (Lucas Otávio), Simião (Marquinhos), Pedro Castro e Juan (Rômulo); Joel e Junior Dutra. Técnico: Claudinei Oliveira.

CORINTHIANS: Cássio; Fagner, Pablo (Pedro Henrique), Balbuena e Guilherme Arana; Gabriel (Kazim), Maycon, Jadson (Marquinhos Gabriel), Rodriguinho e Romero; Jô. Técnico: Fábio Carille.

Juiz: Wilton Sampaio (GO).

Cartões amarelos: Fagner, Romero, Capa, Marquinhos Gabriel, Betão.    

Público: 10.926 pagantes.

Renda: R$ 369.435.

Local: Ressacada, em Florianópolis.