X
Esportes

Ceni não atribui vitória à arbitragem e vê evolução defensiva

O técnico ainda ressaltou que Luiz Araújo não teve intenção de empurrar a bola com a mão no terceiro tento do Tricolor

Rogério Ceni não viu toque de mão proposital de Luiz Araújo no terceiro gol tricolor / Fernando Dantas/Gazeta Press

Após ver sua equipe golear o Santo André por 4 a 1, no Morumbi, Rogério Ceni não atribuiu a vitória aos erros da arbitragem encabeçada por Luiz Flávio de Oliveira, que deixou de marcar impedimento de Cícero no primeiro gol da partida deste domingo. O técnico ainda ressaltou que Luiz Araújo não teve intenção de empurrar a bola com a mão no terceiro tento do Tricolor, e ainda reclamou de dois supostos pênaltis não dados ao time da casa.

“Vi o Cícero impedido, um pouco à frente. No lance do Araújo, antes foram dois pênaltis sobre o Nem e o árbitro ignorou. A mão não teve nenhuma intenção, bateu nas costas ainda do Araújo. O do Cícero, sim, foi irregular, mas não foi essa a razão da vitória”, analisou o treinador.

Embora tenha lamentado o fato de o São Paulo ter sido vazado, Ceni enxergou uma evolução no questionado sistema defensivo de sua equipe, que é a terceira mais vazada do Estadual, com 14 gols.

“Infelizmente concedemos mais um gol, não mantivemos o zero no placar. Melhorou porque foi um só, mas poderíamos ter evitado os minutos de apreensão pelo 2 a 1. Rendemos melhor no segundo tempo, com mais finalizações. Foi um bom jogo, mudamos a maneira de jogar no segundo tempo com a saída do Cueva. Foi como jogamos contra o River na Flórida, uma melhor forma para contra-atacar”, acrescentou.

Diante do Santo André, o São Paulo preferiu esperar o adversário em seu campo de defesa a marcar sob pressão. Segundo Ceni, a mudança de postura tornou a equipe mais segura atrás.

“Fizemos pela primeira vez um gol cedo no campeonato, o que nos deu tranquilidade e permitiu marcar mais baixo, sem se expor diante de um time que tocava melhor a bola. Anteontem fizemos um trabalho específico para defender com sete contra oito. Foram dez minutos de trabalho e não saiu um chute a gol. Hoje o gol saiu de bola parada, com o lateral com mais impulso do que o Buffarini para subir e depois ela cruzando toda a pequena área. Mas foi bom não tomar gol com bola rolando ou logo após marcar”, revelou.

“Agora, me incomoda para quarta-feira, porque tomar gol em casa pode fazer diferença na Copa do Brasil”, disse, referindo-se ao duelo contra o ABC, de Natal, no Morumbi, pelo jogo de ida da terceira fase da Copa do Brasil, competição que tem o gol qualificado como critério de desempate.

Líder do Grupo B do Campeonato Paulista, o São Paulo acumula 14 pontos ganhos e volta a jogar pelo torneio somente no próximo sábado, quando enfrenta o Palmeiras, no Palestra Itália, às 16 horas (de Brasília). O Tricolor se reapresenta na tarde desta segunda-feira, no CCT da Barra Funda.

 

Deixe a sua opinião

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Vem Aí

Guarujá sedia 5ª edição do Conexidades de 7 a 11 de junho

Evento ocorrerá das 7 às 19 horas e é uma realização da União dos Vereadores do Estado de São Paulo (Uvebs)

Novidade

Sabesp disponibiliza atendimento pelo WhatsApp para clientes residenciais

Aplicativo de mensagens recebe consultas sobre débitos, pedidos de segunda via da conta e registros de falta d'água, vazamentos ou qualidade da água

©2021 Diário do Litoral. Todos os Direitos Reservados.

Software