X

Esportes

Após "arma na cabeça" por China, Jadson vê empresários decepcionados

O clube chinês estava disposto a pagar o valor da multa rescisória para tirar o meia do Corinthians, algo que interessava particularmente aos seus empresários

Pedro Henrique Fonseca

Publicado em 26/02/2015 às 19:39

Comentar:

Compartilhe:

A-

A+

Jadson recebeu há pouco mais de uma semana a notícia sobre o interesse do Jiangsu Sainty. O clube chinês estava disposto a pagar o valor da multa rescisória para tirar o meia do Corinthians, algo que interessava particularmente aos seus empresários. Eles ganhariam cerca de R$ 8 milhões com a transferência, recusada pelo atleta.

“Não teve muita pressão, não. Só estavam com minha família, com a arma na cabeça, falando: ‘Vai ou não vai?’”, sorriu o meia. “Estou brincando. Estou há praticamente dez anos com meus empresários, são pessoas extraordinárias. Apenas fazem o trabalho deles, de conseguir contratos e negócios para mim.”

O atleta de 31 anos é agenciado por Bruno Paiva, Marcelo Goldfarb e Marcelo Robalinho – também responsáveis pela carreira de Guerrero. Eles são donos de 50% dos direitos econômicos do jogador e eram aqueles que mais ganhariam com o pagamento de 5 milhões de euros (R$ 16,1 milhões) por parte dos chineses.

“Não teve nenhuma pressão. Eles trouxeram a proposta para eu decidir. Falei que não queria. Eles ficaram um pouco decepcionados, mas falei: ‘Faz parte da vida’. Quero ficar, ir atrás dos meus objetivos. Futebol é isso. Eles fazem o trabalho deles, eu faço o meu”, afirmou Jadson.

Dono de 20% dos próprios direitos, o meio-campista disse ter conversado bastante com a mulher antes de tomar a sua decisão, bastante influenciada pelo técnico Tite. A diretoria do Corinthians, dono de 30%, não fez grande esforço para evitar a transferência por causa de suas dificuldades financeiras.

O diretor de futebol alvinegro, Sergio Janikian, admitiu que o clube não fez nenhuma contraproposta para segurar o atleta. No entanto, posou ao lado de Jadson na entrevista concedida na quinta-feira e tentou se mostrar influente na disputa com os empresários. “Eles com a metralhadora do lado de lá. Eu de garrucha do lado de cá.”

Jadson vê seus empresários decepcionados (Foto: Agência Corinthians)

Deixe a sua opinião

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Oportunidade

Praia Grande oferece 50 vagas gratuitas para oficina de fotografia

Inscrições começam na próxima segunda (22), no Palácio das Artes

Guarujá

Teatro Procópio Ferreira tem apresentações gratuitas na quinta (25)

Para complementar e fortalecer a mensagem passada na peça, será entregue um livro com a história encenada e outras atividades

©2021 Diário do Litoral. Todos os Direitos Reservados.

Software